Ciência e Saúde

Mas de 30 foram infectados por sarampo em aeroporto no Japão

Setor de embarque do Aeroporto Internacional de Kansai (Foto: Kyodo)

Do total de infectados, 25 ainda se encontram em recuperação e a maioria é funcionário do aeroporto.

Um surto de sarampo tem se espalhando rapidamente entre as pessoas que trabalham direta ou indiretamente no Aeroporto Internacional de Kansai, em Osaka, no sul do Japão. Desde meados de agosto, pelo menos 32 pessoas com idade de 20 a 30 anos contraíram a doença viral, informou nesta segunda-feira (5) a agência de notícias Kyodo.

Entre os infectados estão três médicos que trataram pacientes com sarampo no aeroporto. Os médicos foram confirmados com a doença no domingo (4), de acordo com a empresa que opera o aeroporto principal na parte sul na parte sul da prefeitura de Osaka.

A operadora, que confirmou o primeiro caso do surto no aeroporto no dia 17 de agosto, informou ainda que 25 dos que contraíram a doença ainda se encontram em recuperação, a maioria é funcionário do aeroporto.

Mediante a isso, a operadora intensificou a vigilância médica no aeroporto, em vista que o sarampo é altamente contagioso e acredita-se que os trabalhadores infectados não são vacinados contra a doença endêmica.

“O surto (sarampo) parece ter passado o seu pico, mas se alguém que foi exposto no final de agosto desenvolver os sintomas agora, é provável que tenhamos outro pico”, disse Masaru Kinoshita, um funcionário do governo da província de Osaka.

Em uma reunião de emergência realizada no aeroporto na última sexta-feira, Keiko Taya, do Instituto Nacional de Doenças Infecciosas, explicou que a transmissão do vírus endêmico do sarampo foi eliminada no Japão há décadas, mas acredita-se que a doença retornou ao país através de viajantes que passam pelo aeroporto.

Na reunião, Taya instruiu todos os funcionários do aeroporto para medir a própria temperatura corporal duas vezes ao dia (manhã e noite) e, principalmente, ficar longe do trabalho se apresentar febre ou desenvolver alguma erupção cutânea.

Os 32 infectados são jovens trabalhadores com nenhuma imunidade para o vírus e a operadora do Aeroporto de Kansai está verificando quantos de seus 15.000 funcionários não estão imunizados, conforme noticiou a agência ‘Kyodo’.

Sarampo
Sarampo é uma doença infectocontagiosa grave causada por um vírus (Morbilivirus) que é transmitido pelas secreções respiratórias e provoca inflamação generalizada nos vasos sanguíneos.

Há não muito tempo, era difícil encontrar alguém que não tivesse tido sarampo, doença tão comum na infância, que as mães costumavam colocar os filhos pequenos em contato com crianças doentes, porque havia a crendice de que quanto menores elas fossem infectadas menos grave seria a enfermidade e menos complicações provocaria.

Essa realidade mudou completamente com a descoberta da vacina contra o sarampo, que começou a ser utilizada por volta de 1960. De alta eficácia, ela fez com que o sarampo praticamente fosse erradicado em vários países.

Características
A principal característica do vírus do sarampo é a altíssima contagiosidade. Na verdade, o sarampo é uma das doenças infecciosas mais contagiosas de que se tem notícia. Introduzido num domicílio, o vírus certamente irá infectar todas as pessoas que não tomaram a vacina nem tiveram a doença.

A outra são as manifestações clínicas da enfermidade. Ao contrário de alguns vírus que podem causar uma enfermidade praticamente assintomática – a rubéola é um exemplo -, o do sarampo provoca sintomas, que variam de gravidade de uma pessoa para outra. As manifestações clínicas, especialmente as lesões de pele, são tão evidentes que as mães e avós do passado eram capazes de fazer o diagnóstico de sarampo com precisão.

Gravidade da doença de acordo com a faixa etária
o sarampo em adolescentes e adultos tende a ser mais grave. No entanto, em crianças pequenas, particularmente as que têm menos de um ano, é mais grave do que em crianças maiores.

No Brasil, por exemplo, na fase de pré-vacinação, cerca de 10% a 15% das crianças com menos de um ano contraíam a doença, mas era nessa faixa de idade que ocorriam 40% do total de mortes por causa do sarampo e suas complicações. Portanto, nas crianças muito pequenas e nos adultos, a doença é particularmente grave.

Incubação e sintomas
O período de incubação varia entre 10 e 18 dias. Em média, no final da segunda semana após o contágio, começam a aparecer as manifestações da doença (febre e sintomas respiratórios) e dois ou três dias depois, a erupção cutânea característica.

Vacina
Para dar uma ideia do impacto que a vacinação contra o sarampo representou, é importante lembrar que, no Brasil, antes da vacina, praticamente todas as crianças que nasciam pegavam a doença e parte delas evoluía com complicações eventualmente fatais.

A vacina contra o sarampo é eficaz, segura e provoca pouca reação. Lançada na década de 1960, começou a ser utilizada mais amplamente no Brasil no final dessa década, começo da década de 1970.

A estratégia empregada para produzi-la é a da atenuação do vírus. Na prática, isso significa que o vírus é manipulado e enfraquecido em laboratório. Embora continue a ser um vírus vivo, perde a capacidade de transmitir a doença. Quando a pessoa recebe a vacina, porém, responde do mesmo modo que responderia se tivesse entrado em contato com o vírus ativo da doença.

Informações sobre a doença: Site do Dr. Drauzio Varella.

 

Comentários