Ciência e Saúde

Japonês leva Nobel de Medicina por tratamento contra infecções parasitárias

Satoshi Omura é o 23º japonês a receber o Nobel e o terceiro a ganhar a distinção na categoria de Medicina e Fisiologia.

Do Mundo-Nipo

O Prêmio Nobel de Medicina e Fisiologia de 2015 foi concedido nesta segunda-feira (5) aos cientistas Satoshi Omura, do Japão, William C. Campbell, da Irlanda, e Youyou Tu, da China, por desenvolverem tratamentos contra infecções parasitárias e nova terapia contra malária.

Omura e Campbell descobriram uma nova droga – avermectina – que reduziu radicalmente a incidência de oncocercose (a “cegueira dos rios”) causada pelo verme Onchocerca volvulus, e pela filaríase linfática, infecção por trás da elefantíase, causada por vermes do gênero Filarioidea. A pesquisadora Youyou Tu, descobriu a artemisina, droga que combate os plasmódios, parasitas causadores da malária.

Os três vencedores dividirão o prêmio de oito milhões de coroas suecas (cerca de R$ 3,8 milhões). Campbell e Omura ficam com 25% cada e Youyou Tu com metade do valor.

Campbell, nascido em 1930, trabalhava para multinacional farmacêutica Merck na época da descoberta do medicamento, na década de 1970. Hoje é pesquisador emérito da Universidade Drew, de Nova Jérsei (EUA). Tu, nascida em 1930, formou-se em farmacologia na Universidade Médica de Pequim e hoje é professora-chefe da Academia de Medicina Tradicional Chinesa. É a primeira vez que um chinês recebe o prêmio na categoria.

Omura nasceu na província japonesa de Yamanashi, a oeste de Tóquio , em 12 de julho de 1935. Graduado na Universidade Yamanashi, desempenha diversas funções, como a de presidente do Instituto Kitasato, além de lecionar na universidade Kitasato.

O papel de Omura na descoberta da avermectina se deu a partir da expertise que o cientista tinha em cultivar bactérias do solo. Ao criar milhares de culturas do gênero Streptomyces, ele conseguiu identificar várias delas que produziam substâncias tóxicas para outros organismos.

Em entrevista à emissora pública “NHK”, Omura descreveu sua linha de pesquisa como um “trabalho tedioso” e disse que não esperava receber o Nobel.

“Aprendi tanto com os microorganismos e dependi deles, então eu preferira dar o prêmio a eles”, afirmou. “Essa é uma área de pesquisa meio humilde, mas microorganismos são extremamente importantes para os humanos. Eles podem ser nossos parceiros. Espero que a área ganhe mais atenção em razão do prêmio, de forma que possa contribuir mais com os seres humanos”, conforme noticiou a “NHK”.

Omura contou à agência de notícias “Associated Press” (AP) que a amostra de solo onde encontrou a Streptomyces foi obtida em um campo de golf, esporte que costumava praticar.

O professor Omura é o 23º japonês a receber o Nobel e o terceiro a ganhar a distinção na categoria de Medicina e Fisiologia, seguindo-se a Shinya Yamanaka, que conquistou o prêmio em 2012. Com a premiação de Omura, Japão se torna o terceiro país mais laureado com o Nobel na categoria, de acordo coma a agência de notícias “Kyodo”.

O prêmio de Medicina é a primeira das honrarias do Nobel concedidas a cada ano. Prêmios para realizações na ciência, literatura e paz foram concedidos pela primeira vez em 1901, seguindo as determinações do testamento do inventor da dinamite, o empresário Alfred Nobel.

O vencedor do Prêmio Nobel de Literatura será anunciado quinta-feira (8). No dia seguinte será anunciado o vencedor do Nobel da Paz, na sexta-feira (9). O de economia acontece no dia 12.

Fontes: Agência Kyodo | Agência AP | NHK Nws.

Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Comentários