Ciência e Saúde

Japoneses criam a mais fina ‘pele eletrônica’ do mundo

A pele feita pelos japoneses tem uma espessura dez vezes menor do que a de uma célula cutânea.

Um grupo de pesquisadores da Universidade de Tóquio, no Japão, anunciou recentemente que estão desenvolvendo a “pele eletrônica” mais fina do mundo. De acordo com uma recente matéria da BBC, trata-se de um conjunto de circuitos feitos com materiais orgânicos, como plástico, que são mais flexíveis e podem ser “vestidos” pelo usuário.

Segundo os desenvolvedores, a nova versão de pele eletrônica tem uma espessura dez vezes menor do que a de uma célula cutânea. Contudo, ao mesmo tempo em que é mais leve do que uma pena, a pele também é muito resistente, podendo ser dobrada e esticada sem gerar danos aos seus componentes.

A pele é totalmente flexível (Foto: Reprodução/BBC)

A meta é que esse tipo de aparelho seja usado para monitorar a saúde de uma pessoa, funcionando como uma tatuagem eletrônica ou até mesmo como uma tela “de mão”.

Em seu estágio atual, a tecnologia permite exibir um único número digital.

“O próximo passo será incluir mais dígitos e depois fazer uma tela de alta definição”, diz o pesquisador Takao Someya.

“Isso será possível dentro de quatro ou cinco anos.”

*Assista ao vídeo da BBC e saiba mais sobre a pele eletrônica desenvolvida por japoneses.

Comentários