Ciência e Saúde

Cientista japonês ganha prêmio Gairdner, o ‘pré-Nobel’ da Medicina

Bioquímico Akira Endo (Foto: NHK)

Considerado um “pré-Nobel”, o Canadá Gairdner está entre os mais prestigiados prêmios internacionais da medicina.

O bioquímico japonês Akira Endo foi um dos sete pesquisadores a receber o Prêmio Internacional Canadá Gairdner 2017, o principal prêmio científico canadense e que reconhece “algumas das descobertas médicas mais importantes ao redor do mundo”.

Os vencedores foram anunciados na última terça-feira (28), mas a premiação, que inclui um valor de 100 mil dólares canadenses (cerca de R$ 230 mil), será entregue em uma cerimônia de gala em Toronto no dia 26 de outubro deste ano.

Endo, de 83 anos, é professor emérito da Universidade de Agricultura e Tecnologia de Tóquio. Segundo a Fundação Gairdner, o bioquímico foi laureado com o prestigiado prêmio pela “descoberta de substâncias que reduzem o colesterol ruim (LDL)  no corpo humano”.

Por volta de 1971, Endo começou a trabalhar no desenvolvimento de medicamentos para baixar os níveis de LDL no sangue e assim combater a arteriosclerose. Dois anos depois, em 1973, o bioquímico descobriu que as substâncias chamadas estatinas, geradas pelo molde azul, inibem a síntese do colesterol no corpo humano, reduzindo drasticamente seus níveis.

Em 1987, as estatinas foram colocadas no mercado como fármacos usados no tratamento da hipercolesterolemia e na prevenção da aterosclerose. Estima-se que 40 milhões de pessoas em todo o mundo usam o medicamento diariamente.

Endo nunca colheu benefício financeiro de sua descoberta, apesar do fato de que as estatinas estão entre os medicamentos mais amplamente prescritos no mundo.

“Os milhões de pessoas, cujas vidas estão sendo estendidas através da terapia com estatina, devem tudo a Akira Endo”, segundo Michael S. Brown e Joseph Goldstein, vencedores do Prêmio Nobel por trabalhos relacionados ao colesterol.

Prêmio Internacional Canadá Gairdner 2017
Considerado um “pré-Nobel”, o Gairdner é um dos mais prestigiados prêmios internacionais da medicina, como o Prêmio Lasker (Lasker Awards) nos Estados Unidos, que em 2008 foi concedido à Akira Endo pela descoberta das estatinas.

Entre os vencedores do prêmio Gairdner, 84 receberam posteriormente o Nobel de Medicina ou de Fisiologia. Yoshinori Ohsumi, professor emérito do Instituto Tecnológico de Tóquio, recebeu o prêmio Gairdner em 2015 e ganhou o Prêmio Nobel no ano seguinte.

Os demais vencedores do Gairdner em 2017 são dois pesquisadores canadenses, dois dos Estados Unidos, um da Itália e um do Brasil, além de Akira Endo.

Epidemiologista Cesar Victora é o primeiro brasileiro a ganhar prêmio Gairdner
O epidemiologista brasileiro Cesar Victora, que é professor emérito da Universidade Federal de Pelotas (Ufpel), foi anunciado como o vencedor do Gairdner em 2017 na categoria de Saúde Global, que reconhece contribuições à saúde realizadas em países em desenvolvimento.

Segundo a Fundação Gairdner, o professor brasileiro foi homenageado por “contribuições excepcionais à saúde e nutrição materna e infantil em países de renda baixa ou média, com foco especial no impacto do aleitamento materno exclusivo na mortalidade infantil, e no impacto de longo prazo da nutrição no início da vida”.

A Ufpel divulgou em seu site a notícia da vitória de Cesar Victora. Confira os detalhes.

Comentários