Culinária

Receita de kabocha purin: pudim de abóbora

Kabocha purin (Foto: bakazoku.jp)

O kabocha purin é uma deliciosa sobremesa japonesa que aproveita a doçura e textura da abóbora.

Sobremesas e doces saudáveis são muito populares no Japão, onde é comum o uso de legumes como ingredientes principais de uma grande variedade de guloseimas.

Um desses legumes é a abóbora, comumente usada para preparar pudins, bolos e até cookies. O ‘kabocha purin’, por exemplo, é um pudim cremoso feito de abóbora (conhecido como purin, em japonês). Esse doce é um ótimo jeito de aproveitar a doçura e a textura da abóbora, além das proteínas e da cor vibrante que este legume proporciona ao pudim.

Kabocha purin (Foto: Asahi)

O kabocha purin é muito popular nas festas de Halloween no Japão, no final do mês de outubro. Nessa época, o doce é feito ou servido dentro de uma abóbora customizada ao estilo tradicional do “dia das bruxas”, ou seja, com boca e olhos fantasmagóricos esculpidos na casca da abóbora.

Contudo, pequenas vasilhas individuais são a forma tradicional japonesa de servir o kabocha purin no dia-a-dia. Confira abaixo a receita desse delicioso pudim.

Ingredientes (para quatro porções)

120g de abóbora (com sementes e com casca)
2 ovos
150ml de leite
6 colheres de sopa de açúcar

Modo de preparo da calda de caramelo

1 Primeiramente, faça o caldo de caramelo para cobrir o pudim. Use uma colher para misturar 3 colheres de sopa de açúcar e 1 colher de chá de água em uma panela pequena. Mexa bem. Coloque a panela em fogo médio. Incline e vire a panela para dissolver bem o açúcar.

2 Reduza para fogo baixo assim que a mistura de açúcar começar a mudar de cor. Desligue o fogo quando a mistura se tornar marrom-dourada. Adicione 2 colheres de sopa de água fervente para evitar que o caldo fique muito escuro. Retorne a panela para fogo baixo e reduza a mistura até que ganhe consistência de xarope. Retire a panela do fogo e reserve.

Modo de preparo do pudim

Etapas de preparo do Kabocha purin (Fotos: NHK / Asahi / Montagem MN)

1 Corte a abóbora em 4 quartos e use uma colher para retirar as sementes e a polpa fibrosa. Cozinhe a abóbora no vapor por cerca de 10 minutos, até que ela esteja macia. Caso não tenha um vaporizador, você pode simplesmente colocar a abóbora para ferver. Perfure a abóbora com um espeto ou garfo. Caso o garfo passe facilmente, a abóbora está no ponto.

2 Use uma colher para desgrudar a polpa da casca, que não será utilizada. Depois, coloque a polpa em uma vasilha e mexa bem com uma colher.

3 Em outra vasilha, dissolva 3 colheres de sopa de açúcar em 150ml de leite. Mexa bem e reserve.

4 Quebre os ovos em outra vasilha e bata-os bem até que não haja mais nenhuma parte visível da clara. Você pode utilizar um par de pauzinhos de madeira para fazer isso.

5 Adicione gradualmente a mistura de leite e açúcar aos ovos batidos, mexendo bem. Passe essa mistura por uma peneira. Adicione gradualmente a mistura de leite e ovos à abóbora amassada, mexendo bem a cada vez.

6 Coloque água no vaporizador e leve-o à fervura. Divida a mistura do pudim em 4 vasilhas do tipo ramekin ou em pequenas formas de cerca de 2 a 3 centímetros de profundidade. Coloque as forminhas no vaporizador imediatamente.

7 Disponha um pano de prato limpo sobre o vaporizador e coloque a tampa. Deixe ferver no vapor em fogo médio por 1 minuto, e então, posicione a tampa de modo que fique levemente aberta. Ferva em fogo baixo por cerca de 12 a 15 minutos. Fique de olho no calor para assegurar que um pouco do vapor está saindo pela abertura da tampa. O segredo é não deixar o fogo muito alto.

8 Perfure o pudim com um garfo ou espeto. Caso pequenos buracos se formem, o pudim está na consistência ideal. Deixe os pudins esfriarem na forma, ainda mantendo o pano de prato sobre o vaporizador. Em seguida, resfrie os pudins levando-os à geladeira.

9 Quando os pudins estiverem levemente gelados, sirva-os cobertos com uma colher de calda de caramelo, podendo ainda colocar um pouco de chantilly no centro.

Dicas e informações

Sobremesas e doces saudáveis são muito populares nas casas japonesas. Usa-se muito a abóbora para pudins cremosos, bem como em bolos, e cookies  e biscoitos comuns.

Os doces tradicionais japoneses também fazem bastante uso dos legumes. O amanatto, por exemplo, é um doce em que diferentes tipos de feijão são fervidos com açúcar, e em seguida, são secos e ganham uma cobertura de açúcar.

Zunda-mochi são bolinhos de arroz cobertos com uma pasta doce feita de eda-mame, que é  grão de soja ainda verdes. Daigaku-imo é um doce feito de batata-doce frita, com uma fina cobertura doce.

Há também o imo-yokan, uma barra de batata-doce no vapor, que é feita ao amassar e moldar a batata-doce previamente cozida e macia.

*Restrição de uso: receita e informações fornecidas pelo Canal NHK World Japan.

Comentários