Datas festivas

Setsubun no Hi: Divisor das estações e boas-vindas à primavera

Setsubun significa “divisor de estação” e marca a passagem do inverno para a primavera, de acordo com o antigo calendário lunar japonês.

No início do mês de fevereiro os japoneses celebram o Setsubun, que significa “divisor de estação”. A data marca a passagem do inverno para a primavera. Embora a primavera japonesa tenha início somente em março, a celebração obedece ao antigo calendário lunar japonês e é associada ao Ano Novo Chinês, que começa em fevereiro.

No calendário lunar japonês, utilizado até 1873, a numeração dos meses tem cerca de um mês e meio de atraso em relação ao calendário solar moderno.  A chegada da primavera então foi designada como o terceiro ou quarto dia do segundo mês de cada ano, de acordo com o calendário lunar.

Os primeiros dias das estações nesse antigo calendário são chamadas de Risshun (na primavera), Rikka (no verão), Risshuu (no outono) e Ritto (no inverno), sendo que um dia antes de cada época é denominado Setsubun.

O Setsubun no Hi (Dia do Setsubun) tem ligação religiosa e um ritual envolvendo purificação para espantar os demônios. No período Heian (794 e 1185),  a tradição mandava queimar sardinha seca e madeira, acreditando que o cheiro forte da queima, acrescido do bater dos tambores, afugentariam os maus espíritos do início da primavera. Esse ritual era praticamente obrigatório, isso porque a crença, até mesmo nos dias atuais, é que estes demônios têm o poder de levar desgraças e doenças.

Contam que a tradição do Setsubun é baseada em uma lenda. Diz-se que tudo começou quando um monge da era Heian conseguiu espantar um demônio após ter atirado grãos torrados nele. Desde então, os japoneses, que são muitos supersticiosos, adquiriram o costume de jogar grãos de soja torrada em suas casas, templos e santuários.

Na noite do  Setsubun, a tradição manda abrir janelas e portas da casa para jogar os grãos de soja para fora enquanto se diz “fuku wa uchi, oni wa soto” (“sorte entre e demônios saiam!”). Neste caso, o Oni representa os espíritos maus do frio e do inverno.

Há ainda o costume de escrever dois kanjis nos grãos: ma (demônio) e me (extermínio). As famosas máscaras japonesas em formato de demônio são comumente usadas no Setsubun.

Acredita-se que esses atos espantam os maus espíritos, o frio e a tristeza do inverno, atraindo a felicidade e dando as boas-vindas à celebração de uma nova e brilhante primavera.

Depois de espantar os demônios, é hora de comer os grãos de soja para atrair a sorte. Nesse caso, o certo é comer o número de grãos correspondentes a idade da pessoa.

Durante os festejos do Setsubun, templos budistas e xintoístas são decorados de forma tradicional, nas cores vermelha e branca. Depois, vários tipos de celebrações e rituais são realizados nesses locais, que geralmente recebem a visita de milhares de japoneses no Setsubun no Hi.

Templos maiores são visitados por celebridades, como os tradicionais lutadores de sumô, que vão aos templos para pedir por boa sorte.

Os templos e santuários têm por tradição jogar para os visitantes soja torrada envolta em folhas de ouro ou prata, doces, e até dinheiro. Geralmente, esse tipo de ritual ocorre do lado de fora e ao final das celebrações.

Durante o ato, a atmosfera parece um tanto agitada por conta da grande aglomeração de pessoas empurrando umas a outras para tentar pegar os prêmios. Esta parte das celebrações, no entanto, acaba tornando-se divertida e, por isso, ela é realizada com crianças nas escolas durante os festejos do Setsubun no Hi.

Apesar de ser considerado muito importante para os japoneses, o evento não é marcado como feriado no Japão.

Principais fontes de pesquisa
• Site: Vidasemvoltas
• Livro: História da cultura japonesa – Autor:  José Yamashiro | Edição e publicação: Editora Ibrasa
• Livro: Japan – Dictionary Culture and Civilization | Autores: Frederic Louis David and Alvaro Iwang

Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Comentários

Deixe de comentário

*