Datas festivas

Valentine’s Day: Dia dos Namorados no Japão

Em fevereiro, as vitrines e prateleiras das lojas em todo o Japão ficam repletas de caixas de bombons e chocolates dos mais variados tipos. Estamos falando de Valentine’s Day, “Dia dos Namorados” no Japão.

Atualizado em 14/02/2016 – 08h57


Em fevereiro, as vitrines e prateleiras das lojas de todo o Japão ficam repletas de caixas de bombons e chocolates de todos os tipos. Não, não estamos falando da Páscoa e sim do Valentine’s Day. Se no Brasil o Dia dos Namorados é comemorado em 12 de junho, no Japão a data é celebrada em 14 de fevereiro, dia de São Valentim, padroeiro dos namorados.

No Japão, a data é marcada pela troca de chocolates quando as mulheres oferecem a guloseima ao amado. O ritual não acontece apenas entre casais. A maioria das mulheres presenteiam com chocolates os amigos, colegas de trabalho e familiares. A tradição também acontece entre os mais jovens. Meninas oferecem aos seus amigos nas escolas e até à amigas, além de irmãs e irmãos mais velhos.

Os japoneses são tímidos e é no Valentine’s Day que as meninas podem demonstrar que sente algo mais por aquele amigo. Isso porque cada chocolate é dado com uma finalidade. O giri choco é a caixa mais em conta para presentear colegas, chefes e pessoas em comum. Mas para o namorado ou pretendente, a mulher geralmente compra um honmei choko, que é aquela caixa bonita, toda enfeitada e cheia de chocolates especiais.

Chocolate Honmei choko do Valentine's Day (Foto: Divulgação/Tokyo Fashion)

Caixa de chocolate Honmei choko (Foto: Divulgação/Tokyo Fashion)

Algumas japonesas preferem preparar doces, bolos e as mais variadas guloseimas de chocolate em casa, porque tudo o que é feito manualmente (tezukuri) é considerado mais valoroso para os japoneses.

Os homens retribuem as guloseimas com chocolates brancos no dia 14 de março, conhecido como “White Day” (dia branco), considerado como o “Dia das Namoradas”.

Os brasileiros que vivem no Japão aproveitam o Valentine’s Day para celebrar de forma especial o Dia dos Namorados.

A ideia teve início na era Showa (1926-1988), quando uma marca de doces lançou o primeiro anúncio de seus produtos para o Dia dos Namorados. Somente a partir dos anos 70, depois que empresas como a famosa Morinaga lançaram campanha de chocolates para os namorados anualmente, a data passou a ser associada ao dia 14 de fevereiro.

Sobre o Dia dos Namorados ser associado à São Valentim

• Geralmente, há sempre mais de uma versão envolvendo qualquer história ou lenda, e essa não poderia ser diferente. Uma das mais conhecidas narra à história de um padre chamado Valentim, que no século III, na Roma Antiga, teria sido condenado à morte por ir contra a ordem do Imperador Claudio II, que havia proibido o casamento durante as guerras, pois na concepção do Imperador, os solteiros eram melhores combatentes.

Apesar da proibição do Imperador, Valentim continuou celebrando casamentos. Diz-se que ele próprio se casou secretamente. A prática, no entanto, foi descoberta e Valentim foi preso e condenado a morte.

Enquanto preso à espera de sua execução, muitos jovens lhe enviavam flores e bilhetes dizendo que ainda acreditavam no amor.

Diz-se que Valentim também se apaixonou enquanto esteve preso, pela filha cega de um carcereiro, que “milagrosamente” voltou a enxergar. Antes de sua execução em 14 de fevereiro, Valentim escreveu uma mensagem de adeus para ela, na qual assinava como “Seu Namorado” ou “De seu Valentim”.

São Valentim (Foto: Wikimedia Commons)

Gravura retratando São Valentim enquanto estava preso em Roma (Foto: Wikimedia Commons)

Considerado mártir pela Igreja Católica, a data de sua morte, em 14 de fevereiro, também marca a véspera da celebração “Lupercais”, que eram festas anuais celebradas na Roma antiga em honra da deusa Juno (protetora da mulher e do matrimônio) e do deus Pan (protetor da natureza). Um dos rituais desse festival era a passeata da fertilidade, em que os sacerdotes caminhavam pela cidade batendo em todas as mulheres com correias de couro de cabra para assegurar a fecundidade.

• Outra versão conta que no século XVII, ingleses e franceses celebravam São Valentim no dia 14 de fevereiro como a união do Dia dos Namorados. Nos Estados Unidos, a data passou a ser comemorada um século depois como Valentine‘s Day (Dia de São Valentim).

• Há ainda uma versão mais inusitada, relatada na Idade Média. Acreditava-se que o dia 14 de fevereiro era o primeiro dia do acasalamento dos pássaros e, nesta data, os amantes aproveitavam para deixar mensagens de amor na porta das donzelas.

No Brasil, a data é comemorada no dia 12 de junho, justamente no dia seguinte quando se comemora o dia de Santo Antônio, conhecido no país como o “Santo casamenteiro”.

Principais palavras japonesas relacionadas ao Dia dos Namorados

Barentain dee: Dia de São Valentim

Lotte: famoso fabricante/marca de chocolates/doces

Meiji: famoso fabricante/marca de chocolates/doces

Godiba (Godiva): marca de um dos chocolates mais caros, custando entre 1.000 a 10.000 mil ienes a caixa. São oferecidos aos amados, ou a pessoa que deseja sair/namorar

Toryufu: trufas de chocolate. São os chocolates mais comuns, custando entre 300 ienes a 500 ienes a unidade. Oferecidos aos amigos, colegas de trabalho, colegas de escola

Honmei choko: caixa de chocolate especial dado à pessoa amada ou para a pessoa que deseja sair/namorar

Giri choko: caixa de chocolate mais em conta, que normalmente é oferecida aos colegas de trabalho e pessoas com quem convive o dia a dia

Chokoreeto  ou Choko: chocolate

Tezukuri choko: chocolate caseiro e muito valoroso, já que muitas garotas fazem os chocolates como forma de colocarem os seus sentimentos na guloseima. É considerado como muito especial

Howaito dee: (White Day – Dia branco) – comemorado em 14 de março, dia em que os rapazes oferecem ou retribuem o chocolate que recebeu no Valentine´s Day

Koku haku: admissão de afeto por alguém, confissão de amor

Tomo choko: chocolate oferecido aos amigos

Tomo: amigo

Por Maria Rosa
Principais fontes de pesquisa:
• Livro: Japan – Dictionary Culture and Civilization | Autores: Frederic Louis David and Alvaro Iwang
• Dicionário: Shogakukan – Dicionário Universal Japonês-Português | Autor: Jaime Coelho | Editora: Shogakukan
• Nippo Brasil (Jornal online de notícias e cultura sobre o Japão) 

Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Comentários