Mitos e Lendas

Tanuki, o personagem mais brincalhão do folclore japonês

Variedades de Tanuki (Imagem: Edição de arte Mundo-Nipo)

O popularíssimo Tanuki é uma criatura mística, travessa e alegre, mestre no disfarce e na troca de formas.

Tanuki é um personagem do folclore japonês desde tempos antigos. Ele é uma criatura mística, travessa e alegre, mestre no disfarce e na troca de formas, segundo relatos sobre a “criatura” que constam no livro Kojiki (Registro das Coisas Antigas), o livro mais antigo sobre a cultura do Japão, datado de 712.

Diz-se que a principal característica do Tanuki é a predileção por saquê (sake, bebida fermentada feita de arroz). A criatura é frequentemente retratada com uma garrafa de saquê em uma mão e uma nota promissória na outra – uma conta que ele nunca paga – e sempre usando um chapéu. Tem uma barriga enorme e vive sentado sobre seu testículo gigantesco.

Desde os tempos antigos até os atuais, estátuas de Tanuki podem ser vistas nas portas (tanto do lado de fora como de dentro) de restaurantes e izakaya (um tipo de bar japonês) para atrair clientes. Isso porque imagens de Tanuki são consideradas amuletos de boa sorte e prosperidade, enquanto ele próprio é um grande degustador de comida e bebidas, em especial o saquê, claro.

Imagem gigante de Tanuki em frente a uma loja especializada em Shiga (Foto: Creative Commons)

Imagem gigante de Tanuki em frente a uma loja especializada em Shiga (Foto: Creative Commons)

No Japão antigo, a identificação do Tanuki era incerta. Ele era referido à animais como itachi (doninha), ten (marta), musasabi (esquilo voador). Uma definição mais precisa do termo Tanuki ocorreu a partir da Era Edo (1603–1868), quando acabaram por identificá-lo com o texugo ou guaxinim japonês.

Texugo, o guaxinim japonês (Foto: Creative Commons)

Texugo, o guaxinim japonês (Foto: Creative Commons)

Como criatura sobrenatural, o Tanuki é considerado o mais “brincalhão” de todos os personagens animais do folclore japonês, suas ações poderiam ser consideradas divertidas, ao invés de cruéis como as “histórias envolvendo a temível “Kitsune” (raposa de nove caldas).

A principal crença em torno do Tanuki é sua capacidade de mudar de forma, transformando-se, na maior parte dos casos (lendas), em homens, mas também consegue adquirir formas de objetos inanimados, como um bule, por exemplo. Contudo, o Tanuki geralmente não obtém tanto sucesso na execução de seus planos, conforme ocorre nos contos sobre as Kitsunes.

Personalidade
Contam as lendas que os planos fracassados em aplicar brincadeiras nos humanos, em muitas das vezes, seria por conta de sua adoração por saquê. “Ao sentir o aroma da bebida, o Tanuki esquece imediatamente de seu disfarce e levanta o rabo, revelando sua  verdadeira identidade”, conta um trecho em uma de suas lendas descritas no livro “Legends of Japan”, obra compilada em três volumes por F. Hadland Davis, escritor e estudioso da mitologia japonesa.

Uma das lendas mais conhecidas sobre a criatura é denominada Bunbuku Chagama (“Chaleira que espalha felicidade”), na qual um Tanuki liberto de uma armadilha retribui a gentileza a seu salvador. Essa é apenas uma das tantas proezas e retribuição de bondade do atrapalhado personagem Tanuki.

Contudo, a história popular “Kachi Kachi Yama” (A montanha Kachikachi), constitui em um dos raros exemplos em que se enfatiza o lado cruel do Tanuki, que serve a um homem uma sopa feita com a esposa dele. Este aspecto cruel estaria relacionado com sua origem, chinesa.

Já os japoneses cultivam o lado mais traquino do Tanuki, procurando ignorar a personalidade bárbara da criatura, que tem origem na China, como tantos outros personagens da mitologia japonesa. Mediante isso, o folclore japonês retrata Tanuki como uma criatura brincalhona, astuta e, ao mesmo tempo, “atrapalhada”. São raros os contos japoneses descrevendo um Tanuki cruel.

Porém, histórias de bake-danuki (termo usado em referência ao Tanuki malicioso) são contadas em cada canto do Japão, especialmente em Shikoku, onde até hoje é creditado ao Tanuki ocorrência de eventos misteriosos. “Isso é trabalho de um Tanuki bake-danuki”, explica Hadland Davis no volume 2 de seu livro.

O Tanuki também aparece em muitas expressões da língua japonesa como Tanuki Oyaji (velho astuto) e Tanuki Neiri (sono fingido), por conta do costume desses animais, os texugos, de fingir-se de morto ou adormecido quando surpreendido.

No livro o livro “Japan – Dictionary Culture and Civilization”, consta que Tanuki pode ser um yokai (espírito ou fantasma), como também um animal “vivo”, que ganhou poderes místicos.

O personagem também tem nomes distintos em determinadas regiões e suas “pegadinhas” nos humanos variam de acordo com cada tipo de Tanuki.

As quatro variedades mais famosas de Tanuki
• Danzaburou-danuki: variedade originária da ilha de Sado, prefeitura de Niigata
• Shibaemon-tanuki: variedade da Ilha Awaji, na província de Hyogo
• Yashima no Hage-tanuki: veriedade da cidade de Yashima, na província de Kagawa
• Bake-danuki: termo usado para espécie maliciosa de Tanuki e referido em praticamente todas as regiões do Japão.

Algumas “histórias” famosas envolvendo Tanuki
• Bunbuku Chagama
O conto envolvendo Bunbuku Chagama ocorreu em Tatebayashi, na prefeitura de Gunma. Contam que, em tempos antigos, um Tanuki se disfarçou em um bule de chá pertencente a um monge chamado Mamorizuru. Contudo, o Tanuki ficou preso em seu próprio disfarce, salvo depois pelo monge dono do bule. Liberto da armadilha, ele então retribui a gentileza a seu salvador: o chá servido naquele bule jamais se extinguira. Daí o nome da lenda ser Bunbuku Chagama, ou seja, “Chaleira que espalha felicidade”.

• Soko-tanuki (Adesão de Tanuki à religião)
No Gugyo-ji, na província de Ibaraki, contam que um Tanuki se disfarçou de monge em um templo local, onde conviveu por um longo período. Um dia, contudo, ele tirou uma soneca e acabou mostrando sua verdadeira forma. No entanto, é dito que, devido ao longo tempo em que ficou no local, os monges dedicaram uma página de suas escrituras a esse Tanuki.

• Tanuki-bayashi

Fenômeno Tanuki-bayashi em Honjo, obra de Utagawa Kuniteru - 1886 (Foto: Creative Commons)

Fenômeno Tanuki-bayashi em Honjo, obra de Utagawa Kuniteru – 1886 (Foto: Creative Commons)

Na antiga Edo, atual Tóquio, ocorreu um misterioso fenômeno, do qual foi incluído em um dos “Sete Mistérios de Honjo”, antiga cidade em Edo. Dizem que sons de tambor ecoavam pela cidade no meio da noite. Esse fenômeno foi credito ser obra de algum Tanuki e deram-lhe o nome de Tanuki-bayashi.

Registros originais na antiga prefeitura contam que autoridades locais enviaram “agentes” para investigar o caso. “Quanto mais me encaminhava em direção ao som, mais longe ele ficava, como se estivesse tentando fugir, de modo que foi impossível saber sua origem”, disseram os agentes em seus relatos registrados.

A população local, no entanto, responsabilizou Tanuki, que é creditado conseguir imitar sons de tambor quando bate em sua abastada barriga.

Essa passagem ocorrida na antiga Edo foi usada como base para a uma famosa canção de ninar japonesa, denominada “Shojo-ji no Tanuki-bayashi”.

Kasasashi-tanuki (Tanuki do guarda-chuva)
Na antiga Ikeda, agora distrito de Miyoshi, na província de Tokushima, contam que, durante as noites chuvosas, um Tanuki se transformava em uma pessoa portando um guarda-chuva. Ele convidava as pessoas pegas desprevenidas pela chuva a abrigar-se. O ato, que poderia ser classificado como uma “boa ação”, era na verdade mais uma peça pregada pelo Tanuki. Isso porque todos aqueles que aceitavam o convite eram imediatamente transportados para outro lugar assim que se punham sob o guarda-chuva do Tanuki traquina.

As lendas acima não representam um por cento das “histórias” envolvendo o popularíssimo Tanuki. O personagem é tema recorrente na cultura popular japonesa, sendo motivo para inspirações de romances, mangás, animes, filmes e até games.

Em 2013, a criatura ganhou um livro de romance, o “Uchoten Kazoku”, que narra o drama de uma família de Tanuki. Na história drama-comédia, os filhos vivem o drama de ter o pai devorado por humanos. Posteriormente, o livro foi adaptado para série de anime.

Algumas aparições de Tanuki em mangás, animes, filmes e games famosos
One Piece: O autor da famosa e longeva série diz que se inspirou em Tanuki para criar o personagem Tony Tony Chopper.
Naruto: o poder do personagem Gaara se origina de um Shukaku, que é na verdade um Tanuki. O personagem tem a criatura selada em seu corpo e, quando se transforma, fica com os anel do Tanuki no entorno dos olhos.
Animal Crossing: o personagem Tom Nook, uma das figuras centrais da famosa série de games, é um Tanuki no sentido literal da palavra.
Super Mario: Nos jogos de Super Mario Bros. 3, Super Mario Land 3D, New Super Mario Bros. 2 e Super Mario 3D World, Mario pode usar um “Tanooki Suit”. Ao fazer isso, ele assume a aparência de um Tanuki e ganha a habilidade de voar, girar sua cauda para atacar os inimigos, e mudar de forma em uma estátua, muito parecido com um bake-danuki.
Pom Poko: O filme “Pom Poko”, do Studio Ghibli, apresenta um grupo de Tanuki que usa seus poderes de mudança de forma para defender seu habitat contra desenvolvedores humanos.

Simbologia de Tanuki como amuleto da sorte
Acredita-se que a imagem do Tanuki traz sorte. O tanuki lendário tem oito traços especiais que o fazem amuleto de boa sorte, eventualmente criados para coincidir com o símbolo hachi (八, que significa “oito”).

Veja abaixo as oito áreas de sorte e seus significados
1. O chapéu simboliza “proteção” contra os elementos da natureza, cuidado e atenção
2. Os olhos representam o olhar de adequada atenção e “cuidado sobre as coisas”
3. O rosto apresenta um sorriso “sincero amigável”
4. A barriga protuberante representa “fartura” e forte determinação
5. O Tokkuri (garrafa de sake) representa “graça pessoal”
6. A nota promissória representa “confiança”
7. O rabo sugere que a sorte vem de ficar “em pé firme e orgulhoso”
8. Os testículos representa a “fertilidade”.

Há ainda outra área, acrescentada na atualidade, em que alguns “Tanukis” carregam um saco nas costas, sendo este símbolo da “fortuna”, podendo representar ainda “economia” para os dias difíceis.

Regiões da sorte no Tanuki (Foto: Edição MN)

Regiões da sorte no Tanuki (Foto: Edição MN)

Por Maria Rosa (Artigo criado originalmente em 2006)
Fontes principais de pesquisa
• Livro: Legends of Japan | Author: F. Hadland Davis
• Livro: Japan – Dictionary Culture and Civilization | Autores: Frederic Louis David and Alvaro Iwang
• Dicionário: Shogakukan – Dicionário Universal Japonês-Português | Autor: Jaime Coelho | Editora: Shogakukan

Atenção: É permitida a reprodução somente para fins educativos e desde que com o devido crédito ao Mundo-Nipo.com. Para reprodução com fins comerciais, leia a Restrição de uso.

Comentários