Economia

Investimento de empresas no Japão avança pelo 9º trimestre seguido

O investimento de capital corporativo deu uma salto de quase 6% no período de abril a junho.

Do Mundo-Nipo

Um dos indicadores mais importantes do Produto Interno Bruto (PIB), o investimento das empresas, avançou pelo nono trimestre consecutivo no Japão, em termos anualizados, mostraram dados do governo nesta terça-feira (1), indicando uma recuperação contínua no investimento de capital corporativo diante do enfraquecimento do iene.

O Ministério das Finanças pesquisou mais de 30 mil companhias e constatou que elas gastaram um total de 9,04 trilhões de ienes (US$ 75 bilhões) durante o período de abril a junho. Isto significa um aumento de 5,6% em relação ao mesmo período no ano anterior, em termos de ienes.

Apesar do significativo aumento na comparação anual, o ritmo de crescimento do indicador no trimestre encerrado em junho sofreu um ligeiro recuo em relação ao primeiro trimestre do ano, registrando retração de 2,7% em um ajuste sazonal.

No mesmo período, o gasto de capital no setor manufatureiro expandiu 11,6%, para 3,16 trilhões de ienes, marcando o quarto ganho trimestral consecutivo. Já as empresas de atividade não manufatureira registraram um aumento de 2,6%, para 5,88 trilhões de ienes, o que representa o nono trimestre consecutivo de avanço.

Durante o segundo trimestre de 2015, o dólar subiu 19,28 ienes na comparação com o mesmo período do ano anterior, disse um funcionário do ministério durante a divulgação da pesquisa.

Segundo ele, “um iene fraco geralmente apóia os exportadores”. Isso porque os produtos japoneses ficam mais baratos e aumentam o valor da receita no exterior em termos de ienes, contribuindo assim para melhorar os lucros das empresas, o que resulta na expansão de seus investimentos.

Capital corporativo
O investimento de capital corporativo é importante porque mostra a capacidade do país de continuar crescendo no futuro: quando uma empresa planeja aumentar a produção, ela investe em maquinários, transporte e infraestrutura, por exemplo.

Se este índice cai, isso indica que os empresários não estão confiantes e, portanto, não pretendem ampliar a produção. Se as empresas não crescem, deixam de contratar trabalhadores e de produzir mais, fazendo com que a economia desacelere no longo prazo.

No mês passado, o Banco do Japão (BoJ, o banco central japonês), indicou que as exportações e a produção industrial no Japão “seguem recuperando-se, apesar de algumas oscilações”, e que o investimento de capital corporativo continua mostrando uma “tendência de aumento moderado”.

Fontes: Agência Kyodo | NHK News.

Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Comentários