Economia

Índice de sentimento sobre a economia japonesa melhora em julho

O índice melhorou pelo terceiro mês consecutivo, mas ainda está longe do recorde em março.

Do Mundo-Nipo com Agências

O índice de sentimento sobre economia do Japão melhorou pelo terceiro mês consecutivo, aumentando 3,6 pontos em julho ante o mês anterior. O resultado, no entanto, ainda está longe do recorde registrado em março, mostraram dados do governo nesta-sexta-feira (8).

O Escritório do Gabinete, que divulga os números, disse que “a recuperação gradual tende a continuar mesmo com o impulso dado pelo aumento de impostos na demanda se enfraquecendo”.

De acordo com os dados, o índice de sentimento atual subiu para 51,3 em julho, de 47,7 em junho. Um resultado longe do recorde de 57,9 registrado em março, mês em que houve uma forte alta na demanda em antecipação ao aumento do imposto sobre as vendas em abril.

O índice que analisa as condições da economia para um cenário de dois a três meses, no entanto, teve a segunda queda consecutiva, recuando 1,8 ponto para 51,5 em julho. As expectativas com a economia já haviam recuado 0,5 ponto no mês passado.

A pesquisa mostrou que o resultado positivo na demanda causado pelo aumento de impostos no Japão está se dissipando, com as vendas de cosméticos e eletrônicos retornando ao patamar usual. Os empresários se mantém apreensivos em repassar o aumento de custos aos consumidores, uma vez que os salários reais continuam enfraquecidos.

O clima chuvoso também foi apontado como uma das causas para o resultado fraco do varejo na primeira metade de julho. Já o calor esperado para este mês de agosto deve fortalecer a demanda por roupas de verão, ar condicionados e bebidas, de acordo com o relatório do gabinete, que parte da pesquisa de observadores econômicos. O levantamento foi conduzido entre os dias 25 e 31 de julho.

(Com informações das agências Estado e Kyodo)

 


Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Comentários

Deixe um comentário