Economia

Encomendas de máquinas no Japão têm a maior sequência de perdas em 6 anos

Economistas avaliam o resultado como “pessimista”, enquanto o governo deteriorou sua estimativa para o trimestre julho-setembro.

Do Mundo-Nipo com Agência Kyodo


O núcleo das principais encomendas de máquinas do setor privado do Japão caiu mais que o esperado em agosto, registrando recuo de 5,7% ante o mês anterior e marcando o terceiro mês consecutivo de retração, a maior sequência mensal de perdas em seis anos, de acordo com dados sazonalmente ajustados e divulgados na quinta-feira pelo governo do país.

O resultado contrariou a previsão mediana de economistas, que projetavam retração de 3,2% no oitavo mês do ano. Analistas consultados pela agência de notícias Kyodo deterioraram a avaliação do mês anterior, quando o índice sofreu retração de 3,6%, dando o resultado como “pessimista e desanimador”.

O núcleo das encomendas de máquinas, que excluem os pedidos das empresas de energia elétrica e do setor naval por causa da volatilidade, somou o equivalente a  6,3 bilhões de dólares em agosto, informou o Escritório do Gabinete Japonês.

No período em análise e na mesma base de comparação, as encomendas do setor de manufatura declinaram 3,2%. Já as encomendas de empresas não manufatureiras, como as relacionadas com construção e serviços (excluindo os fornecedores de energia e do setor naval), caíram 6,1%.

Os resultados “pessimistas” ocorre num momento em que temores causados pela desaceleração da China desestimulam as empresas a fazer novos investimentos. Com isso, o Escritório do Gabinete rebaixou sua avaliação básica do indicador pelo segundo mês consecutivo, afirmando que as encomendas de máquinas no país estão “paradas”.

O governo também rebaixou sua estimativa para o trimestre julho-setembro. Em avaliação anterior, projetou alta de 0,3% ante o trimestre abril-junho, mas agora diz que “essa meta será difícil de alcançar”.

Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Comentários