Economia

Preço da gasolina no Japão segue caindo, mas continua caro

Apesar da 6ª queda semanal, o preço médio continua muito acima do valor anterior ao aumento do imposto.

Do Mundo-Nipo com Agência Kyodo

O preço médio da gasolina comum no Japão caiu esta semana para 168,4 ienes (US$ 1,62) por litro, de 169 ienes da semana passada, marcando a sexta queda semanal consecutiva, mostraram dados do governo nesta quarta-feira (27).

 

Posto de gasolina no Japão (Foto: Shutterstock)

Apesar da 6ª queda semanal, o preço médio continua muito acima do valor anterior ao aumento do imposto (Foto: Shutterstock)

 

Na comparação anual, o preço médio do litro no varejo subiu 5,1% ante o mesmo período do ano anterior, após uma alta de 5,5% na semana passada, atingindo a 67ª semana consecutiva de aumento anual, de acordo com os dados da Agência Japonesa de Recursos Naturais e Energia, uma filial do Ministério da Economia, Comércio e Indústria.

Apesar da queda, os preços dos combustíveis continuam caros em relação a seis meses atrás. O aumento do imposto sobre as vendas, de 5% para 8% em 1º de abril, levou o preço médio da gasolina a subir acentuadamente, para 164,1 ienes na primeira semana após o aumento do imposto. Na semana anterior, o preço estava em 159 ienes.

O preço recente de 169,9 ienes, registrado na semana segunda de julho, foi o mais alto em mais de cinco anos, desde o 29 de setembro de 2008, quando o preço médio chegou a 170,2 ienes. O valor, no entanto, é bem abaixo do recorde de 185,1, registrado em 4 de agosto de 2008.

Por região, Chugoku registrou a maior queda por litro (1 iene), seguida por Chubu, Tohoku, Kyushu e Okinawa (0,6 centavos); Kanto (0,5 centavos); Kinki (0,4 centavos) e Hokkaido e Shikoku (0,2 centavos).

A gasolina especial também recuou em relação à semana anterior, para 179,3 ienes o litro, queda de 0,5 centavos. O óleo diesel estava custando 146,4 ienes na média, baixa de 0,5 centavos.

 


Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Comentários

Deixe de comentário

*