Esportes

Obras para as Olimpíadas de Tóquio já estão com mais de 40% concluídas

A construção do novo Estádio Olímpico está na metade, devendo ser concluída já em 2019.

Um relatório do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio 2020 revela que o cronograma de obras para o maior evento esportivo do planeta está em dia, mas com previsão de que algumas construções serão concluídas bem antes do estimado.

Divulgado no final de julho, o relatório mostra que as instalações destinadas à Olimpíada estão entre 20% a 40% prontas. Isso inclui a Vila Olímpica, que é composta por 21 prédios e que deve ficar pronta em dezembro de 2019, e o Centro Olímpico Aquático, que receberá competições de natação, mergulho e nado sincronizado.

Saiba mais
» Tóquio apresenta moedas comemorativas dos Jogos de 2020
»Jogos de Tóquio 2020 terão medalhas feitas com material reciclado

Depois da polêmica envolvendo um projeto futurista e extremamente dispendioso para a construção do novo Estádio Olímpico na capital japonesa, o Comitê mostrou em 2016 um novo projeto que, mesmo sendo inovador, é mais simples e tem um custo bem abaixo do inicialmente estimado.

Construção do Estádio Olímpico de Tóquio está bem adiantada | Foto: Satoru Semba/Asahi

Agora, a arena que será o palco da abertura das Olimpíadas já está com mais de 40% das obras concluída. O Comitê estima que o novo Estádio Olímpico de Tóquio deverá ser inaugurado já em novembro de 2019.

Medalhas serão produzidas a partir de lixo eletrônico
Entre obras, a capital japonesa caminha para se tornar uma cidade cada vez mais sustentável, com iniciativas ecológicas que, necessariamente, passam pela Olimpíada e pela Paralimpíada.

Um exemplo disso são as mais de cinco mil medalhas que serão distribuídas no megaevento, que serão produzidas a partir de lixo eletrônico descartado.

Desde abril de 2017, autoridades municipais estão coletando celulares usados e outros eletrônicos em lojas, agências de correio e até em domicílio.

Até agora, o Comitê Organizador dos Jogos, o Ministério do Meio Ambiente, a prefeitura de Tóquio e uma operadora de telefonia já receberam mais de três milhões de peças, que somam cerca de 14 mil toneladas de material eletrônico.

Mais de 70% das cidades japonesas aderiram à campanha, que vai até o primeiro semestre de 2019 caso a quantidade necessária não seja atingida antes.

Segundo o Ministério do Meio Ambiente, as medalhas também contarão com 0,048 grama de ouro, 0,26 grama de prata e 12 gramas de cobre. As de ouro devem ser banhadas com pelo menos seis gramas de ouro puro.

O Projeto Medalha Tóquio-2020 é parte de uma estratégia conduzida pelo primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, de liderar a promoção internacional do desenvolvimento sustentável.

O processo se baseia no conhecimento do país em aproveitar recursos escassos na tecnologia de ponta, que é marca nacional, e faz parte dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (SDGs), um conjunto de 17 metas voltadas para questões como: pobreza, fome e segurança alimentar, água e saneamento básico, educação de qualidade, igualdade de gênero, produção e consumo responsáveis, mudanças climáticas e biodiversidade.

Os Jogos Olímpicos de Tóquio serão realizados entre 24 de julho a 9 de agosto de 2020.

Fontes: O Globo| Estadão | Kyodo.

Comentários