Esportes

Thiago Braz bate recorde olímpico e conquista ouro no salto com vara

© Getty Images

O brasileiro, de 22 anos, derrotou na final o atual recordista mundial e campeão Olímpico da prova em Londres 2012.

O brasileiro Thiago Braz, de 22 anos, surpreendeu os favoritos e garantiu uma histórica medalha de ouro na final do salto com vara, no finalzinho da noite desta segunda-feira (16) no  Estádio do Engenhão. O jovem atleta brasileiro precisou bater o recorde olímpico para derrotar nada menos que o atual campeão mundial.

Esta é a primeira vez que um brasileiro conquista uma medalha, de qualquer cor, na prova. Thiago atingiu a incrível marca de 6,03m em sua segunda tentativa.

No final da disputa, Thiago mostrou autoridade e segurança. O saltador estava empatado com o experiente francês Renaud Lavillene em 5,93m. O francês, de 29 anos e que é o atual recordista mundial e campeão Olímpico da prova em Londres 2012, subiu o sarrafo para 5,98m e passou sem dificuldade. O jovem atleta brasileiro não se intimidou e aumentou a altura para 6,03m.

Como vinha melhor na disputa, o francês teve o privilégio de tentar a altura antes, mas não conseguiu passar. Empurrado pela torcida, o brasileiro, que já tinha definido a classificação para a final como um milagre, tentou na primeira vez, mas desistiu do salto quando se aproximou do sarrafo, mas havia ainda mais duas tentativas.

Em seguida, Lavillene tentou e passou, mas derrubou o sarrafo ao tocá-lo com o peito. Em sua tentativa, o brasileiro passou sem sustos e levantou o público presente no Engenhão. Pressionado, Renaud, que na carreira já saltara 6,16m, voltou a derrubar o sarrafo e ficou com a prata. O americano Sam Kendricks, que saltou 5,85m, levou o bronze.

Thiago deu ao Brasil a primeira medalha de ouro na modalidade e também a primeira de ouro no atletismo desde Joaquim Silva.

Aos gritos de “vai, Thiago” e “eu acredito”, o brasileiro teve atuação surpreendente ao ultrapassar em 10cm a melhor marca da carreira até então, que era de 5,93m. Nos Jogos Rio 2016, além do francês, o brasileiro deixou para trás outros grandes nomes da prova, como o tcheco Jan Kudlicka e o polonês Piotr Lisek.

A conquista da medalha de ouro enlouqueceu ainda mais a torcida, que já estava elétrica desde o início da prova. Primeiro, surgiram os gritos de “é campeão”. Depois, o medalhista de ouro deu a volta Olímpica enquanto o sistema de som do estádio tocava “País Tropical”, de Jorge Ben Jor. Sem sombra de dúvidas, “um brasileiro abençoado por Deus”.

Thiago Braz é natural de Marília, no interior de São Paulo, e acumulava títulos como juvenil. Os maiores feitos até então eram a medalha de prata nos Jogos Olímpicos da Juventude de 2010, em Cingapura, e a medalha de ouro no Mundial Sub-20 de 2012, em Barcelona.

Em 2009, o brasileiro procurou o técnico Elson Miranda, atual treinador de Fabiane Murer, outra esperança de medalha do Brasil no salto com vara. E há dois anos passou a ser orientado pelo ucraniano Vitaly Petrov, que tem no currículo trabalhos com os maiores nomes da modalidade na história, o ucraniano Sergei Bubka e a russa Yelena Isinbayeva.

Fontes: Rio 2016 | Jornal O Globo.

Comentários