Meio ambiente e Energia

Ilha japonesa surgida de erupção continua crescendo em grandes proporções

A ilha mais que triplicou seu tamanho e continua crescendo devido à persistente atividade vulcânica no fundo do mar.

Do Mundo-Nipo

A ilha recém-formada a cerca de mil quilômetros ao sul de Tóquio, que surgiu a partir de uma erupção vulcânica em novembro de 2013, mais que triplicou seu tamanho e continua crescendo em grandes proporções devido à forte e persistente atividade vulcânica no fundo do mar.

 

Ilha vulcânica em Nishinoshima fotografada em 16 de fevereiro (Foto: Centro Geoespacial do Japão)

Em 16 de fevereiro, o Centro Geoespacial do Japão fotografou a nova ilha vulcânica, que já se fundiu à ilha de Nishinoshima (Foto: Centro Geoespacial do Japão)

 

Membros do Comitê de Coordenação para Previsão de Erupções Vulcânicas se reuniram na terça-feira (25). Eles emitiram uma avaliação sobre a atual situação da ilha surgida em 20 de novembro e que recentemente se fundiu à desabitada ilha de Nishinoshima, localizada no pequeno arquipélago de Ogasawara.

Esta é a primeira erupção que acontece em Ogasawara à cerca de 40 anos, depois que a ilha de Nishinoshima aumentou seu tamanho entre 1973 e 1974 devido também à intensa atividade vulcânica.

De acordo com o relatório do comitê, a medida de massa de terra é de meio quilômetro quadrado, e Nishinoshima possui agora 3,5 vezes o seu tamanho original. Eles estimam que pelo menos 10 milhões de metros cúbicos de lava tenham sido expelidos até o dia 4 de fevereiro. Também estimam que a erupção produza cerca de 10 mil metros cúbicos de lava por dia.

A temperatura na superfície da ilha é de cerca de 1.000 graus Celsius e a atividade deve persistir por um bom tempo, o que irá fazer com que a ilha cresça ainda mais. A Guarda Costeira do Japão está pedindo a embarcações que navegam próximas a ilha para ficarem em estado de alerta.

(Do Mundo-Nipo com a NHK News e Agência Kyodo)

 


Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Comentários