Meio ambiente e Energia Meteorologia

Terremoto de 8,5 graus sacode todo o Japão

Este foi um terremoto raro porque ocorreu a uma grande profundidade e foi sentido por mais tempo que o convencional.

Do Mundo-Nipo

Um terremoto com magnitude 8,5 graus na escala Richter foi sentindo em praticamente todo o Japão neste sábado (30), informou a Agência Meteorológica do Japão (JMA, sigla em inglês), sem sinalizar alerta de tsunami, mas advertiu sobre um possível aumento no nível do mar.

De acordo com a JMA, o tremor ocorreu às 20h24 local (08h24 pelo horário de Brasília), com epicentro registrado no mar perto das ilhas Ogasawara, cerca de mil quilômetros ao sul de Tóquio, a uma profundidade de 590 quilômetros. A agência alertou para a possibilidade de réplicas (tremores secundários) na região.

Terremoto de 8,5 com epicentro em Ogasawara (Imagem: Reprodução/JMA)

O mapa mostra as áreas afetadas pelo forte tremor (Imagem: Reprodução/JMA)

O abalo foi sentido em quase todo o arquipélago, mais intensamente na região de Kanto (leste), atingindo intensidade máxima de 5 + graus (forte) na escala japonesa, que vai até 7. O grau de magnitude equivale à intensidade do terremoto no epicentro. Já a escala japonesa considera o nível de abalo sentido na superfície da terra.

A Companhia de Energia Elétrica de Tóquio (Tepco, Tokyo Electric Power) informou que está verificando se o tremor afetou as instalações da já danificada usina nuclear Fukushima Daiichi.

Até o momento, as autoridades locais não relataram sobre vítimas ou danos a construções, mas já se sabe que o serviço de trem-bala entre Tóquio e Osaka foi interrompido por falta de energia.

Um especialista disse à emissora estatal ‘NHK’ que este foi um terremoto raro, isso porque ocorreu a uma profundidade muito grande e foi sentido por um tempo mais longo que o convencional. A Agência Meteorológica do Japão marcou uma coletiva de imprensa para as 22h30 local (10h30 no horário de Brasília), em Tóquio.

O Japão faz parte do chamado ‘Anel de Fogo do Pacífico’, uma das zonas sísmicas mais ativas do mundo, e sofre terremotos com relativa frequência, por isso possui uma infraestrutura que foi desenvolvida para resistir tremores que poderiam ser fatais em outras partes do mundo.

Fontes: NHK News | JMA | Agência Kyodo.

*Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Comentários