Meteorologia

Tufão afeta transportes e obriga deslocamento de milhares de pessoas no Japão

Até ao momento, foram registados 90 feridos e um desaparecido em nove províncias do Japão.

Do Mundo-Nipo

O tufão Vongfong, o pior a atingir o Japão este ano, castigou as ilhas de Kyushi e Shikoku, no sul e sudeste do país, levando consigo fortes chuvas e provocando uma ampla interrupção nos transportes, obrigando ainda o deslocamento de milhares de pessoas em várias regiões do país.

 

Tufão Vongfong obriga ao fechamento das funções na estação JR Osaka na segunda-feira (Foto: Kyodo)

A foto mostra um aviso de fechamento das funções na estação JR Osaka na segunda-feira (Foto: Kyodo)

 

Segundo a informou a TV estatal NHK, Vongfong, 19º tufão da temporada, forçou o cancelamento de mais de 500 voos domésticos e ao menos um voo internacional foi cancelado. Muitos trens em cidades nas regiões Kinki (centro-oeste) e Tokai (sudoeste), parte ocidental do país, também encontram-se parados.

Segundo a Agência Meteorológica do Japão (JMA), essas duas regiões, que abrangem as províncias de Nara, Wakayama, Kyoto, Osaka, Hyogo, Shiga, Shizuoka, Aichi, Gifu e Mie, devem ser as mais castigadas pela chuva.

A Agência prevê precipitações pluviométricas de 400 milímetros em Kinki e Tokai até o meio-dia de terça-feira. Para se ter uma ideia, a quantidade média de chuva durante um ano é de 1.500 milímetros na província de Aichi e de 1.700 milímetros em Mie.

Em outras regiões, a Agência prevê precipitação de 300 milímetros de chuva em Shikoku, 250 em Chugoku e Hokuriku e 200 em Kanto e Tohoku.

Mais de 820 mil pessoas foram instadas a deixar suas casas. A previsão é que a chuva se intensifique em Tóquio durante a noite.

Além das ilhas de Kyushu e Shikoku, o Vongfong castigou também a ilha de Okinawa, no extremo sul do país, ferindo 59 pessoas. Até ao momento, foram registados 90 feridos e um desaparecido em nove províncias do arquipélago como consequência dos acidentes provocados sobretudo pelos fortes ventos e pelas chuvas torrenciais, disse a NHK.

No domingo, os ventos diminuíram bastante de intensidade em relação ao dia anterior, quando chegaram a alcançar 234 km/h, o que fez com que o Vongfong fosse classificado como “supertufão”.

No momento, o tufão está perto de Sukumo (Kochi) e se desloca a uma velocidade de 40 km/h em direção nordeste, com ventos sustentados de 108 km/h (30 m/s) e rajadas de até 162 km/h (45 m/s), segundo o mais recente boletim da Agência Meteorológica, divulgado às 14h40 locais desta segunda-feira.

O Vongfong deve atingir as regiões de Kinki e Tokai entre a noite desta segunda-feira e a madrugada de terça. Depois, dirige-se para Kanto e Tohoku, leste e nordeste do Japão, respectivamente, de acordo com a Agência.

A Agência disse que a população deve estar atenta às informações sobre o deslocamento do tufão e aos avisos de refúgio por causa de possíveis inundações e deslizamentos de terra.

A Companhia de Energia Elétrica de Tóquio (Tepco, na sigla em inglês), operadora da usina nuclear de Fukushima, danificada pelo tsunami em 2012, disse em comunicado que estava se preparando para receber o tufão. Segundo o comunicado, a Tepco aumentou a capacidade de transferência e armazenamento de água para evitar que os estoques de água radioativa mantidos na planta transbordem.

 

*Acompanhe a evolução do Vangfong no site oficial da Agência Meteorológica do Japão.

*Veja como está o Tempo no Japão neste momento.

 


Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Comentários