Meteorologia

Número de mortos por deslizamentos em Hiroshima sobe para 63

Os trabalhos têm sido dificultados devido a lama e detritos que se acumulam entre os escombros.

Do Mundo-Nipo com Agência Kyodo

O número de mortos nos vários deslizamentos de terra que ocorreram na última quarta-feira na cidade de Hiroshima, no oeste do Japão, aumentou para 63 nesta terça-feira (26), com outras 25 pessoas desaparecidas que continuam sendo procuradas por equipes de resgate em meio aos escombros das dezenas de casas que foram destruídas na tragédia.

 

Equipes continuam as buscas em Hiroshima (Foto: Toshiyuki Hayashi/AJW)

Os trabalhos têm sido dificultados devido a lama e detritos que se acumulam entre os escombros (Foto: Toshiyuki Hayashi/AJW)

 


saiba mais


Buscas por desaparecidos continuam em Hiroshima; número de mortos sobe para 52


Sobe para 50 número de mortos na tragédia em Hiroshima


Sobe para 49 o número de mortos pelos deslizamentos de terra em Hiroshima


Premiê japonês é criticado por jogar golfe após saber das mortes em Hiroshima


Uma semana depois de chuvas torrenciais desencadearem vários deslizamentos de terra, cerca de 30 simultaneamente, uma força conjunta formada por bombeiros, policiais e soldados das Forças de Autodefesas do Japão tem enfrentado muitas dificuldades nos trabalhos de resgate.

Segundo eles, além das buscas que frequentemente têm sido interrompidas devido a temores de novos deslizamentos, os trabalhos são dificultados por toneladas de lama e detritos que se acumulam entre os escombros das dezenas de casas que foram destruídas, sobretudo no distrito de Asa-Minami, na parte norte da cidade.

Em uma tentativa de ajudar as operações de resgate, a prefeitura divulgou ontem os nomes e endereços de moradores nos locais afetados que supostamente estariam desaparecidos. A ação, no entanto, não promoveu resultados positivos até o momento.

*Veja como está o Tempo no Japão neste momento.

 


Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Comentários