Notícias

Japão se prepara contra eventual ataque da Coreia do Norte

A população já sabe que um míssil norte-coreano pode levar menos de 15 minutos para alcançar o Japão.

O Ministério da Defesa do Japão enviou, nesta segunda-feira (1), seu maior navio de guerra, e maior porta-helicópteros do mundo, para dar apoio à frota norte-americana deslocada na península coreana depois que a crise se agravou com a Coreia do Norte, que hoje anunciou que vai empregar “velocidade máxima” ao programa de armas nucleares do país.

O Japão, que fica a pouco mais de mil quilômetros da Coreia do Norte, já pensa num sistema de alarme e abrigos para a população no caso de um ataque norte-coreano com mísseis balísticos.

O porta-helicópteros Izumo zarpou nesta segunda-feira de uma base militar perto de Tóquio.

Com 249 metros de extensão, faz escolta a um navio-tanque que vai reabastecer a frota americana nas águas da península coreana.

É a primeira vez desde o fim da Segunda Guerra Mundial que o Japão participa de uma ação militar fora de seu território.

Os japoneses já condenaram repetidamente os testes militares norte-coreanos e temem que uma guerra mude a rotina do país.

Em todo o Japão, as crianças sabem qual é o sinal para voltar para casa no fim do dia. É conhecida como a música das cinco da tarde.

Soa em todo o país desde a década de 1960 e vem de poderosos alto-falantes a 15 metros de altura. Nesses dias mais tensos, o equipamento poderá provar que tem outras funções.

A música das cinco horas é a forma de testar diariamente todo o sistema de som. Num país sujeito a desastres naturais, como terremotos, os alto-falantes são um jeito eficiente de enviar alertas com grande alcance.

Para o caso de um possível conflito militar, as autoridades já avisaram que um alarme vai soar dos alto-falantes.

Em caso de ataque de mísseis norte-coreanos, o som que os japoneses irão ouvir está num site da internet. É uma cartilha eletrônica, com orientações do governo para se proteger dos foguetes – que podem conter material químico ou radioativo.

Quem estiver na rua deve procurar uma construção resistente, cobrindo boca e nariz. Em casa, vedar as frestas e se afastar das janelas. Se livrar das roupas se houver suspeita de contaminação. As informações virão pela TV ou por rádio.

Os mais de 30 milhões de moradores da região metropolitana de Tóquio já sabem que um míssil norte-coreano pode levar menos de 15 minutos para alcançar o Japão.

Não há pânico ou grandes preocupações, mas é melhor prevenir. E todos esperam que a melodia das cinco não mude.

Fonte: Jornal Nacional.

Comentários