Notícias

Japão inclui drones e Osprey em simulação nacional de terremoto

Aviões Osprey já participaram de exercício de simulação de desastre em Osaka, em 2014 (Foto: Arquivo/Kyodo)

O Dia da Prevenção de Desastres no Japão contou com dispositivos de última geração e cerca de um milhão de pessoas.

A Força Marítima de Autodefesa do Japão desdobrou, nesta quinta-feira (1), drones e aviões Osprey para participar de uma simulação de terremoto em nível nacional, no qual participou cerca de um milhão de pessoas, incluído o Gabinete do governo japonês e o primeiro-ministro Shinzo Abe, para provar a capacidade de reposta do Estado diante dito cenário.

Segundo a agência ‘Kyodo’, o governo tem como objetivo mostrar a capacidade desses dispositivos de última geração caso ocorra um grande terremoto na falha de Nankai (leste), um dos pontos com maior atividade sísmica do mundo.

Um drone fez parte do desdobramento efetuado na cidade de Himeji (oeste) para registrar a extensão da devastação gerada por um hipotético terremoto com uma magnitude de 9,1 na escala aberta de Richter e de nível máximo de 7 na escala japonesa -que se centra mais nas zonas afetadas- na fossa submarina de Nankai.

Os especialistas predizem que ocorrerá um forte terremoto nas próximas décadas nesta área, que se situa ao sul da ilha de Honshu, a maior do arquipélago japonês.

Na cidade de Sasebo, na província de Nagasaki, localizada na ilha de Kyushu (sul), dois aviões Osprey da Marinha japonesa foram usados na simulação, que incluiu o transporte de uma equipe médica de emergência até uma ilha remota.

O uso destas aeronaves de decolagem vertical, capazes de decolar e aterrissar como um helicóptero e voar como um avião, estaria destinado a demonstrar a segurança do aparelho, que o governo japonês planeja desdobrar no aeroporto de Saga em Kyushu.

Contudo, esta não foi a primeira vez que aviões Osprey participam de um exercício de prevenção a desastres no Japão. A primeira ocorreu em outubro de 2014, na cidade costeira de Shirahama na península de Kii, ao sul de Osaka. O exercício foi marcado por protestos de moradores locais, que questionaram a segurança desse tipo de aeronave.

Além desses dispositivos de ponta, as manobras de hoje contou com navios e helicópteros. Participaram ainda, membros dos corpos de Polícia, de bombeiros e das Forças de Autodefesa (Exército) do país, que se encarregariam de evacuar a população afetada.

O dia 1 de setembro é conhecido como o Dia da Prevenção de Desastres no Japão desde o devastador terremoto de magnitude 7,9 na escala Richter que castigou a região de Kanto, incluída a cidade de Tóquio, tal dia como hoje em 1923 deixando mais de 100 mil mortos.

Com informações das agências Kyodo e Efe.

Comentários