Notícias

Polícia encontra corpo de japonesa que estava desaparecida no Canadá

Natsumi Kogawa (Foto: Reprodução/NHK)

O corpo de Natsumi Kogawa, de 30 anos, foi encontrado em uma mansão vazia na cidade de Vancouver.

Atualizado em 01/10/2016 – às 14h37


A polícia de Vancouver, no oeste do Canadá, informou que encontrou o corpo da japonesa Natsumi Kogawa, de 30 anos, que estava desaparecida desde o dia 8 de setembro no país, onde residia como estudante desde maio, informou neste sábado (1) a emissora estatal ‘NHK’ em seu site ‘NHK World News’.

De acordo com a publicação, a polícia anunciou na sexta-feira (30) que “um corpo foi encontrado em uma mansão vazia na quarta-feira (28)” e, posteriormente, “confirmado tratar-se da japonesa desaparecida Natsumi Kogawa”.

A polícia prendeu William Schneider, de 48 anos, suspeito de cometer o crime. Isso porque imagens extraídas de uma câmera de vigilância mostraram Schneider caminhando com Natsumi em um shopping no centro de Vancouver no dia 8 de setembro, data em que a japonesa foi contactada pela última vez, conforme noticiou a ‘NHK’.

Imagens de câmera de vigilância mostram Natsumi e Schneider caminhando em um shopping em Vancouver (Foto: Reprodução/NHK)

Imagens de câmera de vigilância mostram Natsumi e Schneider caminhando em um shopping em Vancouver (Foto: Reprodução/NHK)

Segundo uma recente reportagem do canal japonês ‘ANN News’, Natsumi estava estudando inglês em Vancouver desde maio. Ela foi contactada pela última vez no dia 8 de setembro, quando um amigo local trocou mensagens com Natsumi através do aplicativo Line.

Ambos se encontrariam à tarde do mesmo dia. Contudo, por volta das 16h30, esse amigo enviou outra mensagem e não obteve resposta. Depois desse dia, amigos locais foram à polícia registrar o sumiço da japonesa.

Ainda de acordo com a ‘ANN’, a imagem de Natsumi acompanhada pelo canadense Schneider, que nenhum dos amigos conhecia, foi registrada por volta das 13h30 em um shopping de Vancouver, no mesmo dia do desaparecimento.

Até o momento, a polícia não detalhou como a japonesa foi morta e nem se Schneider confessou o crime, segundo a ‘NHK News’.

Comentários