Notícias

Índice de emprego no Japão é o mais alto desde janeiro de 1974

Foto: Japan Times

Havia 155 vagas de empregos disponíveis para cada 100 pessoas em busca de trabalho em outubro.

O número de postos de trabalho disponíveis no Japão se manteve em níveis recordes, subindo ainda amais em outubro e atingiu seu nível mais alto em quase 44 anos, enquanto o índice de desemprego se manteve em 2,8% em outubro, informou o governo do país em seu relatório revisado publicado nesta sexta-feira, indicando que o mercado de trabalho japonês continua apertado em meio à escassez de trabalhadores para uma grande oferta de trabalho.

A oferta de trabalho em relação à procura situando-se em 1,55 em outubro, ou seja, havia no país 155 vagas de empregos disponíveis para cada 100 pessoas em busca de trabalho no décimo mês de 2017, o que representa ainda mais que no mês anterior e o maior nível de oferta em relação à demanda desde janeiro de 1974, segundo números revisados do Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar Social do Japão.

A grande oferta de emprego  volta a pôr em destaque a rigidez do mercado de trabalho japonês e representa um impedimento para o crescimento da terceira maior economia do mundo, imersa num acelerado processo de envelhecimento demográfico.

Dados separados do Ministério dos Assuntos Internos e Comunicações mostrou que a taxa de desemprego situou-se em 2,8% em outubro na base anualizada, mesmo índice registrado nos quatro meses anteriores.

O número de desempregados em outubro ficou em 1,81 milhão, o que representa uma redução de 140 mil pessoas ou 7,2% menos que no mesmo mês de 2016.

Enquanto isso, o número de japoneses com trabalho chegou a 65,81 milhões, 610 mil ou 0,9% mais que em outubro do ano passado.

A pasta também publicou hoje o dado da despesa das famílias, que se manteve estável em relação a setembro, apesar dos aumentos dos salários e os esforços do governo por revitalizar o consumo doméstico, um pilar fundamental da economia japonesa.

Cada lar japonês com dois ou mais residentes gastou em média 282.872 ienes, o que representa praticamente a mesma cifre em termos reais que no mesmo mês do ano precedente.

Por outro lado, a renda média por lar aumentou 2,9% anualizada em outubro para 501.416 ienes.

Com Agência EFE Brasil

Comentários