Notícias

Desemprego no Japão fica baixo dos 2 milhões pela 1ª vez desde 1995

Foto: Kyodo/Bloomberg

Além disso, a oferta de empregos atingiu o seu melhor nível em mais de duas décadas e meia.

A taxa de desemprego no Japão em outubro manteve-se inalterada em 3%, mesmo índice visto em setembro, mas o número de desempregados no país ficou abaixo dos 2 milhões pela primeira vez desde o início de 1995, enquanto a oferta de empregos atingiu o seu melhor nível em mais de duas décadas e meia, informou o governo do país, sinalizando que o mercado de  trabalho japonês continua rígido diante da falta de trabalhadores em meio à grande oferta de empregos.

De acordo com o relatório do Ministério dos Assuntos Internos e Comunicações, o número de pessoas sem emprego em outubro situou-se em 1,95 milhão, declínio de 130 mil desempregados em relação ao mesmo mês do ano passado.

Trata-se da 77ª queda mensal consecutiva, em termos anualizados. Além disso, o índice não ficava abaixo dos 2 milhões de desempregados desde fevereiro de 1995.

Divulgado na última terça-feira (29), o relatório do Ministério mostra ainda que o número de empregados situou-se em 64,95 milhões, ou seja, o mercado de trabalho no Japão viu um acréscimo de 630 mil trabalhadores em outubro na comparação com o mesmo de 2015.

Dados separados do Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar Social mostraram que a relação entre oferta de trabalho e candidato subiu 0,2 ponto porcentual, situando-se em 1,40 em outubro ante 1,38 em setembro, ou seja, havia no país 140 vagas de empregos disponíveis para cada 100 pessoas em busca de trabalho no décimo mês do ano. O número é o mais alto já registrado no país desde junho de 1991.

Mediante ao excelente resultado, o Ministério manteve sua avaliação do índice, dizendo que “a situação do emprego no país continua em uma tendência de melhora”. A avaliação segue inalterada desde janeiro de 2016.

Com Agência Kyodo

Comentários