Notícias

Japão: irritado com choro, padrasto joga bebê contra parede

©Aflo Images

A criança de apenas 1 ano teve hemorragia cerebral e está internada em estado crítico.

Um homem de 23 anos foi preso na quinta-feira (2) por agredir e quase matar o enteado de apenas 1 ano. O caso aconteceu em Himeji, na província de Hyogo, centro-oeste do Japão, onde o homem confessou à polícia que “jogou a criança longe porque estava irritado com o choro dela”. O bebê bateu com a cabeça na parede e está internado em estado muito grave, com hemorragia cerebral, informou nesta sexta-feira (3) a imprensa japonesa.

De acordo coma publicação do jornal ‘Yomiuri’, o acusado, identificado como Atsuhiro Inoue, estava desempregado e morava com a namorada e o filho dela. A agressão ocorreu na última terça-feira (28), por volta das 23 horas locais. No momento do incidente, a mãe, de aproximadamente 20 anos, estava no trabalho.

A princípio, o homem negou ter agredido o bebê, mas confessou após insistência dos investigadores que suspeitaram do depoimento contraditório do agressor. Além disso, há evidências de que o mesmo teria ligado para o número de emergência (119) no dia seguinte à agressão, por volta das 7h20 de quarta-feira (1), avisando que uma “criança estava mole e inconsciente”.

Ainda de acordo com o ‘Yomiuri’, o hospital onde a criança foi socorrida denunciou o ocorrido à polícia, notificando que “um bebê na faixa etária de 1 ano, do sexo masculino, estava internado e se encontrava inconsciente, em estado crítico, com traumatismo craniano seguido de concussão cerebral, no que gerou hemorragia interna provocada por aparente pancada na cabeça”. O hospital alertou à polícia que o caso “poderia se tratar de maus-tratos”.

Após confessar o crime, Inoue detalhou a agressão, dizendo que “arremessou a criança longe porque ela não parava de chorar”, o que o deixou irritado, segundo informou o ‘Nikkei The Style’.

Apesar de Inoue afirmar não saber onde a criança bateu depois de ser arremessada, a polícia suspeita que ela tenha ido de encontro à parede do cômodo onde aconteceu a agressão. Além disso, há suspeita de que o homem cometia abuso diário contra a criança, cujo “estado de saúde é extremamente crítico”, afirma a agência de notícias ‘Kyodo’.

A polícia está investigando o caso e, por enquanto, Inoue está preso e vai responder por tentativa de homicídio e suspeita de maus-tratos, seguido de abuso contra menor. Mas, caso a criança não sobreviva, a acusação passará para homicídio, podendo ainda degradar para homicídio qualificado (com intenção de matar), conforme noticiou a ‘Kyodo’.

Comentários