Notícias

Japão apressa negociações para fechar acordo comercial com Brasil

Foto: Stockvault

Japão que passar à frente das negociações mais avançadas do Brasil com a União Europeia e a Coreia do Sul.

O Keidanren, poderosa federação das indústrias do Japão, está adiantando as negociações com a Confederação Nacional da Indústria (CNI) para assinar um Acordo de Parceria Econômica com o Mercosul, de preferência passando à frente das negociações mais avançadas com a União Europeia e a Coreia do Sul, segundo matéria publicada pelo ‘Valor Econômico’.

De acordo com o ‘Valor’, a pressa para o desfecho das negociações é por conta dos 20 anos de duração do acordo com a União Europeia, ainda não concluído, ou seja, um indicador do ritmo com que se dá esse tipo de negociação. “O acordo, ou EPA, na sigla em inglês, é um dos pontos-chave no entendimento de empresários japoneses para elevar a segurança dos investimentos no Brasil e outros países da região”, explica o ‘Valor’.

Essa negociação, no entanto, é observada com ceticismo por alguns interlocutores brasileiros. Isso porque rapidez em negociações com japoneses são vistas quase como conceitos antagônicos.

É muito claro o interesse de investidores industriais e de infraestrutura do Japão, que se manifestam de maneira muito clara sobre o interesse em um acordo, seja o Keindaren ou empresas individuais. Temos ouvido interesse para que negociem”, resumiu ao ‘Valor’ o embaixador do Brasil no Japão, André Corrêa do Lago.

O Keidanren e a CNI já negociam as bases de um EPA há alguns anos. Um documento elaborado pelas duas organizações mostra que as exportações para o Brasil dobraram e as importações triplicaram entre 2000 e 2014.

A avaliação, contudo, é que ainda existem obstáculos a serem contornados para a assinatura de um acordo bilateral e sugeridas algumas medidas para melhorar a conexão dos países, como o reconhecimento mútuo de diplomas, certificados e outras provas de qualificação profissional.

A última reunião do Comitê de Cooperação Econômica Brasil-Japão, que tem representantes da Firjan, CNI e empresas japonesas como a Sumitomo Mitsui e Banco de Tokyo-Mitusbishi, entre outros, aconteceu em Curitiba em 2017. A próxima está marcada para julho, em Tóquio.

*Confira, na íntegra, a matéria da repórter Cláudia Schüffner, do ‘Valor Online’, que viajou a convite do Ministério de Relações Exteriores do Japão.

Comentários