Notícias

Dólar sobe mais de 1% após BC reduzir rolagem e antes de referendo na Grécia

O dólar encerrou a semana com alta acumulada em 0,35%. No mês, a moeda subiu 0,98%.

Do Mundo-Nipo com Agências

O dólar avançou mais de 1% sobre o real nesta sexta-feira (3), em reação à sinalização de que o Banco Central quer reduzir a intervenção no câmbio e com investidores cautelosos em relação à crise na Grécia, antes do referendo de domingo (5), quando a população do país votará em referendo sobre o acordo de resgate oferecido pelos credores internacionais a Atenas, em um pleito que pode definir o futuro da Grécia na zona do euro.

A moeda norte-americana encerrou o dia em alta de 1,40%, cotada a R$ 3,1393 na venda, após recuar 1,56% na véspera, para R$ 3,096. Como resultado, o dólar encerra a semana com alta acumulada de 0,35%. No mês, até agora, a moeda tem ganho de 0,98% e, no ano, a valorização é de 18%.

O resultado hoje foi ampliado pela liquidez baixa decorrente do feriado do Dia da Independência, nos Estados Unidos, que manteve os mercados locais fechados. Além disso, investidores ainda monitoravam os desdobramentos da crise da dívida na Grécia.

No fim de semana, a população grega votará em referendo sobre o acordo de resgate oferecido pelos credores internacionais, em um pleito que pode definir o futuro do país na zona do euro.

“O mercado está se preparando para um resultado negativo e não quer ser pego no contrapé, então prefere ser mais defensivo hoje”, explicou o operador de uma corretora internacional, sob condição de anonimato, à agência de notícias Reuters.

Nesta sexta-feira, o primeiro-ministro Alexis Tsipras rejeitou os alertas europeus de que o país estará decidindo sobre o futuro na zona do euro no referendo, dizendo que as negociações continuariam por um acordo melhor com credores internacionais após o voto.

De maneira geral, no entanto, operadores avaliam que a eventual saída da Grécia do bloco teria pequeno impacto no Brasil.

Banco Central diminui leilões de contratos de dólar
O Banco Central anunciou na noite de quinta-feira (2) uma redução na oferta de contratos de swap cambial tradicional (equivalentes à venda de dólares no futuro) em leilão para rolagem do lote que vence em 3 de agosto. Isso sinaliza uma diminuição no ritmo de intervenção do BC no mercado de câmbio.

Nesta sessão, o BC vendeu a oferta total de até 6 mil contratos, menos do que os 7,1 mil que vendeu em cada um dos dois pregões do mês.

“Com a recente queda da moeda abaixo dos R$ 3,10, o BC se sente seguro para adotar tal medida”, escreveu o operador da corretora Correparti, em nota a clientes, Ricardo Gomes da Silva.

Com isso, o BC rolou o equivalente a US$ 988 milhões ao todo, ou 9% do lote de agosto, que corresponde a 10,675 bilhões de dólares.

Mantendo a oferta de até 6 mil contratos por dia até o penúltimo dia útil do mês, como faz de praxe, o BC rolará o equivalente a US$ 6,396 bilhões ao todo, ou cerca de 60% do lote total. Se continuasse com as ofertas anteriores, a rolagem seria de 70%, como a do mês anterior.

O mercado já trabalhava com a possibilidade de o BC aproveitar janelas para reduzir o estoque de swaps cambiais, que atualmente equivale a cerca de US$ 115 bilhões. Segundo operadores, a percepção é que a autoridade monetária está disposta a tolerar um dólar mais forte para incentivar a atividade econômica via exportações enquanto eleva os juros básicos para combater a inflação.

(Com informações da agência Reuters e jornal Folha de S.Paulo)

*Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Comentários

Deixe uma resposta