Notícias

Princesa Mako oficializa noivado e saída da família real do Japão

Kei Komuro (E) e princesa Mako (D) em coletiva de imprensa concedida em Tóquio (Foto: Pool/Casa Imperial)

Mako oficializou noivado com o plebeu Kei Komura, namorado da universidade, e perderá o status de realeza.

A princesa Mako, neta mais velha do imperador japonês Akihito, irá se casar com um ex-colega de classe, disse a Agência da Casa Imperial, confirmando um casamento que irá esvaziar ainda mais a família imperial japonesa, uma vez que ao contrair matrimonio com um plebeu, será obrigada a abandonar a realeza pelo fato de sua união ser com um plebeu.

Mako, de 25 anos, a mais velha dos quatro netos do Imperador Akihiko, oficializou o noivado com Kei Komuro, também de 25 anos, ex-colega da Universidade Cristã Internacional, localizada no bairro de Mitaka, em Tóquio.

A princesa e seu noivo falaram em coletiva de imprensa realizada neste domingo (3) na Akasaka Estate, no distrito de Motoakasaka, em Tóquio, onde Mako confirmou que deixará de ser membro da Casa Imperial Japonesa após seu casamento.

Segundo a emissora pública ‘NHK’, Komuro vive em Yokohama, capital da província de Kanagawa, localizada no leste do país e dentro da região metropolitana de Tóquio.

A Casa Imperial confirmou que Komuro trabalha em um escritório de advocacia e gosta de esquiar, tocar violino e cozinhar.

O casal se conheceu há cinco anos por meio de amigos em comum na Universidade Cristã Internacional, que ambos frequentaram, de acordo com o jornal ‘The Japan Times’.

A princesa Mako é a filha mais velha do príncipe Akishino e da princesa Kiko. Por sua vez, Akishino é o filho mais novo do imperador Akihito e da imperatriz Michiko. Atualmente, ele é o segundo na linha de sucessão ao Trono do Crisântemo, conforme é denominado o trono do império japonês.

Os outros três netos do imperador são a irmã Kako e Hisahito, irmãos mais novos de Mako, e a filha do príncipe herdeiro Naruhito, a princesa Aiko, que deveria ser a terceira na linha de sucessão, mas não é porque as leis da Casa Imperail do Japão não permitem que mulheres ascendam ao trono, o que é visto com reprovação pela população jaonesa, já que pesquisas apontam maioria a favor de Mako como imperatriz.

População real do Japão reduzida
A população real, cada vez menor, que reflete o amplo envelhecimento da sociedade japonesa, tem aumentado as preocupações de que o príncipe possa também ser o último, de acordo com a agência de notícias ‘Reuters’.

Hisahito, de 10 anos e irmão mais novo de mako, é um dos quatro herdeiros ao trono, atrás dos dois filhos de meia idade do imperador Akihito, cujas esposas estão na casa dos 50 anos, e do irmão octogenário de Akihito, Masahito.

O noivado com Kei Komuro ocorre após legisladores do Japão aprovarem em junho uma lei que permite que Akihito renuncie, a primeira abdicação de um monarca japonês desde 1817.

Há um ano, o primeiro imperador a não ser considerado divino, disse em uma rara aparição pública temer que a idade dificultasse o cumprimento de suas funções. O imperador, de 83 anos, passou uma cirurgia do coração e tem sido tratado por um câncer de próstata, conforme noticiou a ‘Reuters’ neste domingo (3).

Após o casamento de Mako, o número de membros da Casa Imperial Japonesa, incluindo o Imperador e a Imperatriz, cairá para apenas 18.

Cerimônia de noivado
Segundo o jornal ‘Mainichi’, apesar da oficialização pública do noivado, ambos ainda precisam realizar várias cerimônias, entre elas está o pedido oficial de casamento denominado “Nosai no gi”, uma cerimônia em que o mensageiro de Komuro apresentará presentes de noivado à família do príncipe Akishino.

Espera-se que o casamento aconteça no ano que vem. Ele  será o primeiro casamento de uma princesa japonesa com plebeu desde que a princesa Noriko de Takamado casou-se com Kunimaro Senge, sacerdote no Santuário de Izumo Taisha, na província de Shimane, em outubro de 2014.

Comentários