Notícias

Filha de Trump ganha proteção especial de agentes mulheres no Japão

Agentes mulheres Tóquio simulam bloqueio de fã com presente bomba em treinamento antes da visita de Ivanka Trump ao Japão (Foto: Rei Kishitsu / Asahi)

É primeira vez que Tóquio forma um grupo de segurança composto somente por mulheres.

Durante visita à Tóquio, a filha do presidente norte-americano Donald Trump, a bela Ivanka Trump, que também é conselheira da Casa Branca, contará com a proteção especial de uma equipe formada por agentes mulheres, em sua maioria membros da polícia antimotim, informou nesta sexta-feira (3) os principais meios de comunicação local e internacional.

Ivanka Trump no aeroporto de Narita (Foto: Ikuro Aiba / Asahi)

Citando agências internacionais como fonte, o jornal ‘O Globo’ comentou em uma matéria publicada hoje que é a primeira vez que o Departamento de Polícia Metropolitana de Tóquio forma um grupo de segurança composto somente por agentes mulheres.

Ainda de acordo com o jornal brasileiro, a unidade da polícia feminina, vestida com trajes pretos inteligentes com camisas de botão branco, treinou em frente ao Palácio Imperial de Tóquio na última quarta-feira (1), mostrando manobras e exercícios defensivos.

Ivanka já se encontra na capital japonesa, onde participou, na manhã desta sexta-feira, da Assembleia Mundial para Mulheres, uma conferência internacional para o empoderamento feminino e questões relacionadas organizada pelo governo japonês.

Enquanto isso, Donald Trump e a primeira-dama dos EUA, Melania Trump, estão programados para chegar ao Japão no domingo para uma visita de três dias ao país asiático.

Discurso na Assembleia Mundial para Mulheres
Segundo a agência de notícias ‘Reuters’, Ivanka falou aos presentes na Assembleia em Tóquio. O foco da conselheira da Casa Branca foi o assédio contra as mulheres abuso contra as mulheres, o qual classificou como “intolerável”.

As declarações acontecem em um momento marcado pelo caso Harvey Weinstein, megaprodutor de cinema americano de agressões sexuais e estupro, o que avivou o debate sobre o assédio contra as mulheres.

“Geralmente, a cultura de nossos locais de trabalho não respeita as mulheres como deveria (…) Isso se manifesta de várias maneiras, até o assédio, que nunca deve ser tolerado”, declarou Ivanka Trump em Tóquio.

Do Mundo-Nipo
Fontes: Agência Reuters | O Globo | Asahi Shimbun.

Comentários