Notícias

Mãe de brasileiras mortas no Japão espera passaporte para buscar netas

Maria Aparecida ganhou passagem para o Japão e continua fazendo apelo por doações para trazer as duas netas, de 3 e 5 anos.

A mãe das jovens Michelle e Akemy Maruyama, mortas no último dia 30 de dezembro na cidade de Handa, perto de Tóquio, ganhou a passagem aérea do Brasil para o Japão e continua fazendo apelo por doações que a possibilitem trazer as duas netas, de 3 e 5 anos, que estão em um abrigo no país.

Em entrevista ao portal G1, Maria Aparecida Amarilha Scardin disse que a doação da passagem foi anônima e que aguarda o passaporte e o visto emergencial para embarcar.

“Quero trazer minhas netas pra ficarem comigo. Fiquei sabendo que o avô paterno quer a guarda dela, mas eu sou a mãe da mãe delas, então acho que elas devem ficar comigo e quero isso”, disse ela ao G1.

“Ganhei, não sei de quem, as passagens de ida e volta de Guarulhos (SP) até o Japão, agora quero ver se consigo ajuda para comprar a passagem daqui até São Paulo. Estou resolvendo uma pendência para tirar o visto emergencial, mas acho que deve sair ainda essa semana”, explicou.

Irmãs Akemy Maruyama e Michelle Maruyama (Foto: Reprodução/Facebook)

Irmãs Akemy Maruyama e Michelle Maruyama (Foto: Reprodução/Facebook)

A campo-grandense Akemy Maruyama, de 27 anos, foi encontrada morta em apartamento no Japão, no dia 30 de dezembro. Outro corpo, ainda não identificado, também foi encontrado no local, no que autoridades japonesas acreditam  que seja a irmã de Akemy, Michelle Maruyama, de 29 anos, já que as duas moravam juntas. O suspeito do crime é um peruano, ex-marido de Akemy, e está preso.

A polícia japonesa aponta que, depois de matar as duas mulheres, o autor do crime espalhou o combustível para atear fogo no apartamento e eliminar possíveis vestígios.

Maria Aparecida disse que Akemy morava no Japão há uma década e que não a via há seis anos. Akemy deixou duas filhas, que tinha com o peruano suspeito das mortes. Desde que soube das mortes, ele procurou tirar o passaporte emergencial para conseguir o visto e embarcar para o Japão, onde irá pedir a guarda das netas.

Maria Aparecida disse que está recebendo ajuda de amigos das filhas mortas. “Essas pessoas que conheciam minhas filhas lá estão me ajudando muito, já me ofereceram hospedagem enquanto eu precisar ficar lá para resolver a questão das minhas netas. Sou muito grata por toda a ajuda que estou recebendo”, ressaltou.

Liberação do passaporte
A expectativa era de que o documento saísse nesta semana, no entanto, a demora é porque Maria precisou emitir um novo título de eleitor, além de precisar tomar algumas vacinas para que a ida ao Japão seja liberada. O visto dela para a permanência por alguns dias no Japão está sendo agilizado pelo Ministério de Relações Exteriores em conjunto com o Consulado Geral do Brasil em Nagoya.

Por meio de nota, o Ministério de Relações Exteriores informou que o “apoio está sendo prestado aos familiares das brasileiras falecidas, tanto no Brasil quanto no Japão” e disse que não está previsto na lei o pagamento de traslado de corpo para o Brasil.

Doações
Embora Maria Aparecida tenha sido contemplada com a passagem para o Japão, ela continua fazendo apelo por doações que a possibilitem trazer as duas netas. Se você quiser ajudar financeiramente a mãe das jovens, a conta para depósito é do Banco do Brasil, agência 2951-3, conta corrente 13.176-8.

Confira o apelo feito por Maria no vídeo abaixo:

Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Comentários