Notícias

Japão apoia ataque dos EUA na Síria

59 mísseis Tomahawk foram lançados de dois navios de guerra dos EUA (Foto Arquivo/Getty)

O premiê japonês disse que “a ofensiva à Síria visa a paz e a segurança mundial”.

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, manifestou seu apoio aos Estados Unidos no ataque com dezena de mísseis a instalações militares do governo de Bashar Al-Assad na Síria, avaliando que “a ação norte-americana visa a paz e a segurança mundial”.

O apoio público do premiê japonês aos EUA ocorreu depois de uma reunião de emergência do Conselho de Segurança Nacional, que incluiu o Ministro das Relações Exteriores, Fumio Kishida, e a Ministra da Defesa, Inada Tomomi, na residência oficial do primeiro-ministro, logo após a ofensiva bélica norte-americana na Síria.

Depois do encontro com seu Executivo, Abe falou em uma coletiva de imprensa: “Devido a outro ataque químico na Síria, muitos inocentes perderam suas vidas, inclusive crianças, declarou ele, acrescentando que o “ato foi amplamente desumano e viola em grande escala as resoluções do Conselho de Segurança da ONU”.

“O governo do Japão apoia a decisão dos EUA sobre não perdoar jamais o uso e a disseminação de armas químicas”, continuou Abe em suas declarações de apoio a ação de Washington, avaliando que “o ataque serviu para impedir o agravamento da situação”.

Apoiamos as interferências do presidente Donald Trump em relação à paz e segurança dos países aliados e a preservação da ordem mundial, disse o premiê japonês em referência a ofensivas militares como forma de retaliação as ameaças de armas de destruição em massa, um argumento que serviu também como “mensagem” para a Coreia do Norte.

Ataque à Síria
De acordo com as principais agências internacionais de notícias, o governo do presidente norte-americano Donald Trump ordenou o lançamento de 59 mísseis sobre instalações militares na Síria na quinta-feira (6).

A ofensiva norte-americana, segundo o porta-voz do Pentágono, foi em retaliação ao ataque químico que matou pelo menos 80 pessoas, muitas delas crianças, na última terça-feira (4) em uma cidade dominada por rebeldes opositores ao regime do ditador sírio Bashar Al-Assad.

Ainda de acordo com o Pentágono, 59 mísseis Tomahawk foram lançados de dois navios de guerra americanos no Mar Mediterrâneo. Os projéteis atingiram a base aérea de Al Shayrat, em Homs, por volta das 21h40 (hora de Brasília), 4h40 na hora local da Síria, destruindo caças sírios, munição, radares e outros equipamentos militares. A ofensiva durou entre três e quatro minutos.

A agência estatal síria ‘Sana’ informou que nove civis morreram no ataque americano, incluindo quatro crianças. Outras sete pessoas ficaram feridas, segundo o comunicado.

Fontes: Agência Kyodo | NHK News Japan | Folha de S.Paulo | Agência Reuters.

Comentários