Notícias

Biografia do imperador Hirohito é aberta ao público no Palácio em Tóquio

Registros sobre a vida do Imperador Hirohito | Foto: Reprodução / NHK

Um cópia da obra que levou mais de 24 anos para ser concluída está sendo exibida no Departamento de Arquivos e Mausoléu do Palácio Imperial.

A biografia do falecido imperador Hirohito encontra-se à mostra ao público no Palácio Imperial, em Tóquio. O livro, compilado pela Agência da Casa Imperial, relata o reinado de Hirohito (1901-1989), conhecido postumamente como o imperador Showa, que inclui delicados episódios históricos como a entrada do país na Segunda Guerra Mundial e o pós-guerra sob ocupação americana.

Mais de 24 anos de trabalho e 12 mil páginas repartidas em 61 volumes foram necessários para completar a biografia, com seu término anunciado no final do mês passado. A Agência da Casa Imperial está exibindo uma cópia no Prédio do Departamento de Arquivos e Mausoléu que fica nas dependências do palácio, a partir desta segunda-feira (9).

O atual imperador, Akihito, e sua esposa, a imperatriz Michiko, participaram da revisão da obra e completaram seus últimos capítulos, segundo informou o responsável da agência, Noriyuki Kazaoka.

A compilação de informação para redigir a biografia começou em 1990 e inicialmente estava previsto que se completasse em 16 anos, embora esta data limite teve que ser adiada por duas ocasiões e até chegar ao ano em curso.

A obra se baseia no princípio de “transparência”, segundo a agência, que quis assim deixar para trás as críticas recebidas pela biografia do antecessor de Hirohito, o imperador Taisho (1879-1926), cujas algumas passagens foram censuradas.

No entanto, a agência imperial decidiu deixar de fora os registros acadêmicos de Hirohito e seu histórico médico.

A biografia se baseia em informações recolhidas de cerca de 3 mil diferentes fontes, entre elas os diários de assistentes do imperador, registros de suas visitas a outros países e entrevistas com meia centena de funcionários do Palácio Imperial.

Um total de 112 trabalhadores em tempo integral ou parcial desta instituição trabalharam na compilação da informação e na redação da obra, cuja elaboração custou 200 milhões de ienes (1,46 milhão de euros), sem contar despesas de pessoal.

A agência imperial planeja publicar o primeiro volume do livro em março de 2015, e o resto dos tomos será editado durante os próximos cinco anos.

Do Mundo-Nipo
Fontes: NHK | Kyodo

Comentários