Notícias

Abe viaja ao Vietnã para cúpula da Apec, mas de olho no tratado TPP

Foto: Kyodo

Abe espera convencer chefes de Estado a levar o tratado da Parceria Transpacífico em vigor sem os EUA.

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, embarcou nesta quinta-feira (9) rumo ao Vietnã e às Filipinas, uma viagem de sete dias que tem como principal objetivo encontros com líderes regionais na cúpula da Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (Apec), que terá início na sexta-feira (10) em Da Nang, província na costa leste do Vietnã.

Antes de partir, o premiê declarou a repórteres que planeja se reunir à parte com os presidentes Xi Jinping, da China, e Vladimir Putin, da Rússia, paralelamente às conferências.

O líder japonês afirmou que pretende manter uma conversa sincera com os líderes e convencê-los quanto à necessidade de maximizar a pressão sobre a Coreia do Norte até que esta abandone seus programas de desenvolvimento nuclear e de mísseis.

“Quero conversar com os líderes de cada país, apelando-lhes sobre a necessidade de aumentar a pressão sobre a Coréia do Norte ao máximo para que mude suas políticas”, disse Abe em seu escritório antes de dirigir-se para aeroporto de Haneda, em Tóquio.

Ainda às margens da cúpula em Da Nang, Abe planeja um encontro particular com o primeiro-ministro chinês Li Keqiang.

O premiê japonês lembrou que, no próximo ano, o Japão e a China vão comemorar o 40º aniversário da assinatura do tratado bilateral de paz e amizade.

“Espero que as próximas reuniões conduzam ao maior estreitamento dos laços bilaterais e a uma relação estratégica mutuamente benéfica, afirmou o premiê a repórteres pouco antes de embarcar hoje à tarde (hora local) em seu voo com destino ao Vietnã.

Anunciando o cronograma da Abe na manhã de hoje, o secretário-chefe do gabinete e porta-voz do governo, Yoshihide Suga, disse que o Japão “planeja liderar as discussões para servir como uma força motriz na promoção do livre comércio e da economia na região da Ásia-Pacífico”.

De acordo com autoridades japonesas, Abe terá como objetivo promover regras comerciais livres e justas na região, bem como apoiar economias sustentáveis ​​no bloco dos 21 membros na cúpula Apec.

Na sexta-feira, Abe e os outros 10 líderes do acordo comercial da Parceria Transpacífico (TPP, na sigla em inglês) estarão reunidos na cidade vietnamita com a esperança de chegar a um acordo para levar o tratado em vigor sem os Estados Unidos.

Assinado em fevereiro de 2016 na cidade de Auckland, na Nova Zelândia, o Tratado TPP representa cerca de 40% do PIB mundial. Ele foi assinado pelos ministros e representantes de Estados Unidos, Japão, Austrália, Brunei, Canadá, Chile, Peru, Malásia, México, Nova Zelândia, Cingapura e Vietnã.

Na participação dos Estados Unidos, o tratado foi assinado pelo então presidente Barack Obama. Porém, sob o comando de Donald Trump, Washington retirou-se do pacto em janeiro deste ano, deixando Tóquio como a maior economia do TPP.

Em Manila, a partir de domingo, espera-se que Abe busque apoio para a posição do Japão em matéria de segurança marítima, incluindo a importância do Estado de Direito no enfrentamento de disputas territoriais no Mar da China Meridional, onde a China e alguns membros da Associação das Nações do Sudeste Asiático (ASEAN, na sigla em inglês) se sobrepõem a reivindicações.

Antes de sua viagem nesta quinta, Abe recebeu o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, na capital japonesa, onde reiterou a posição de Tóquio como o maior aliado de Washington na região.

O líder da terceira maior economia mundial está programado para deixar as Filipinas no dia 15 de novembro, devendo chegar ao Japão no mesmo dia.

Do Mundo-Nipo
Fontes: NHK | Kyodo.

Comentários