Notícias

Terremoto de magnitude 4,9 abala região leste do Japão

Alerta de terremoto (Foto: Stockvault)

Apesar da intensidade moderada, o tremor foi sentido em várias localidades de Kanto.

Um terremoto de magnitude 4,9 graus na escala Richter atingiu a região de Kanto, leste do Japão, na manhã desta quinta-feira (10), com epicentro a cerca de 40 quilômetros de Tóquio, informou a Agência Meteorológica do Japão (JMA, na sigla em inglês), acrescentando que não houve risco de tsunami.

De acordo com a JMA, o terremoto ocorreu às 09h36 locais de quinta-feira (21h36 de quarta-feira no horário de Brasília), com epicentro registrado no norte da província Chiba, a uma profundidade de 70 quilômetros.

O tremor foi sentindo em uma ampla área de Kanto, em mais de uma centena de cidades. Sua potência, contudo, teve intensidade maior em cidades nas províncias de Ibaraki, Tochigi, Gunma, Saitama, Chiba e Kanagawa, abalando ainda algumas edificações na capital japonesa, com intensidade máxima de 3 graus na escala japonesa, que vai até 7.

A magnitude na escala Richter equivale à intensidade do terremoto no epicentro, enquanto a escala japonesa considera o nível de abalo sentido na superfície da terra.

Até o momento, autoridades locais não reportaram danos a edificações ou relatos de pessoas feridas em consequência do tremor. Contudo, a JMA adverte que poderão ocorrer réplicas (tremores secundários) em áreas próximas.

De acordo com a emissora pública ‘NHK’, apesar de intensidade moderada, o tremor foi sentido em várias localidades. A Tokyo Eletric Power (Tepco), que opera as usinas nucleares na região, informou que o sismo não afetou suas instalações atômicas.

O Japão faz parte do chamado “Anel de Fogo do Pacífico”, uma das zonas sísmicas mais ativas do mundo, e sofre terremotos diariamente. Mediante isso, o país possui uma infraestrutura desenvolvida para resistir tremores que poderiam ser fatais em outras partes do mundo.

*Para saber mais detalhes, como total de cidades atingidas e suas respectivas intensidades na escala japonesa, visite a página com os dados do terremoto no site oficial da JMA.

Comentários