Notícias

Dólar reverte queda no dia e fecha no patamar de R$ 4,05

A sessão de hoje foi marcada pelo baixo volume de negócios, em meio às persistentes preocupações com a economia chinesa.

Depois de operar em queda por toda parte da manhã, o dólar mudou de rumo e fechou em alta ante o real nesta segunda-feira (11), um dia marcado pelo baixo volume de negócios em meio às persistentes preocupações com a economia chinesa.

A moeda norte-americana avançou 0,28%, cotada a R$ 4,0517 na venda, após atingir R$ 4,0021 na mínima da sessão. Na semana passada, o dólar acumulou alta de 2,34% em relação ao real.

Preocupações com a China
A China fortaleceu o iuan pela segunda sessão consecutiva nesta segunda-feira, após sua decisão de permitir que a moeda se desvalorizasse na semana passada provocar intensas preocupações com a saúde da segunda maior economia do mundo.

Mesmo assim, as bolsas chinesas apresentaram forte queda, já que a decisão de Pequim confundiu investidores. Muitos agentes financeiros temem que Pequim pode perder o controle sobre a política econômica, em um momento em que o país deve registrar seu crescimento mais lento em 25 anos.

A queda dos preços do petróleo às mínimas em quase 12 anos também ajudou a pressionar o humor nos mercados globais, arrastando consigo outras commodities.

Cenário interno
No Brasil, o movimento do dólar foi acentuado pelo baixo volume de negócios, reflexo do início do ano e da forte instabilidade que atingiu o mercado brasileiro nas últimas semanas.

“O mercado cansou um pouco, vai olhar bem antes de entrar com força nos negócios”, disse José Carlos Amado, operador da corretora Spinelli, à agência de notícias Reuters.

No cenário local, as perspectivas para a política econômica atraíam atenção, após o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, sinalizar que os juros básicos podem voltar a subir neste mês.

Juros mais altos no Brasil podem atrair recursos externos ao país, o que poderia levar a uma queda do dólar.

Atuações do Banco Central
Nesta manhã, o Banco Central fez mais um leilão de rolagem dos swaps cambiais (equivalentes à venda futura de dólares) que vencem em 1º de fevereiro, vendendo a oferta total de até 11,6 mil contratos.

Até o momento, o BC já rolou o equivalente a US$ 3,389 bilhões, ou cerca de 32% do lote total, que corresponde a US$ 10,431 bilhões.

(Com informações da Agência Reuters)

Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Comentários