Notícias

Presidente russo convida premiê do Japão a assinar tratado de paz

©cfmc.ru

Tóquio disse que um acordo de paz só pode ocorrer após a Rússia devolver as ilhas do Pacífico.

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, propôs ao primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, a assinatura de um tratado de paz até o final deste ano para encerrar formalmente as hostilidades da Segunda Guerra Mundial entre os dois países. O convite formal aconteceu nesta quarta-feira (12), durante o fórum econômico na cidade russa de Vladivostok.

“Uma ideia acabou de passar pela minha cabeça”, disse Putin a Abe durante uma sessão de perguntas e respostas no fórum econômico. “Vamos concluir um tratado de paz antes do final deste ano, sem quaisquer precondições”, sugeriu o líder russo, que não obteve resposta imediata de Abe, conforme noticiou a agência de notícias Reuters.

Porém, pouco depois de Putin fazer a proposta, um porta-voz do governo japonês em Tóquio disse que o Japão quer a devolução de ilhas do Pacífico capturadas por tropas russas nos últimos dias da guerra antes de assinar um tratado de paz.

Rússia e Japão disputam as ilhas há décadas, e por isso ainda não encerraram formalmente as hostilidades da Segunda Guerra Mundial. O impasse vem impedindo a criação de laços econômicos entre os dois países quase vizinhos.

Putin insiste com Abe sobre acordo
Mais tarde na mesma sessão, Putin disse sobre sua proposta: “Eu não estava brincando”. Ele disse que sua ideia é que os dois lados assinem um tratado primeiro e depois acertem as questões que os dividem.

Ilhas em disputa
Tanto Moscou quanto Tóquio reivindicam a soberania das ilhas, conhecidas na Rússia como Ilhas Kurile e no Japão como Territórios do Norte.

Em um boletim de rotina à imprensa realizado em Tóquio após a proposta de Putin, o secretário-chefe de gabinete japonês, Yoshihide Suga, disse: “Não quero comentar o que o presidente Putin disse (…) entretanto, nossa posição de que a questão dos Territórios do Norte seja resolvida antes de qualquer tratado de paz não mudou”.

Abe e Putin dizem querer uma solução para a disputa territorial. O líder japonês disse que um acordo destravaria o comércio e o investimento de empresas japonesas para a Rússia, que sofre um boicote de investimentos ocidentais por causa de sanções.

Mas para Putin, que divulga a imagem pública de um defensor aguerridos dos interesses de seu país, ceder as ilhas poderia ter uma repercussão negativa em casa, conforme noticiou a Reuters.

Com Agência Reuters

Comentários