Notícias

População de centenários no Japão bate novo recorde e passa de 65 mil

©Reuters

O número de cidadãos japoneses com idade a partir dos 100 anos saltou 6,7% este ano.

O número de pessoas com idade a partir dos 100 anos aumentou pelo 46º ano consecutivo no Japão e bateu novo recorde, ultrapassando a incrível marca de 65 mil cidadãos centenários, informou nesta terça-feira (13) o Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar.

O censo do Ministério é comumente divulgado uma semana antes do Dia do Respeito aos Idosos (Keirou no Hi), que é celebrado anualmente na terceira segunda-feira de setembro. Este ano, a data cai no dia 19 de setembro.

É esperado que o número de centenários totalize 65.692 na próxima semana, quando alguns milhares de cidadãos japoneses completarão 100 anos. O número representa um aumento de 4.124 ou 6,7% a mais que em setembro de 2015, aponta o levantamento do Ministério, que é contabilizado no decorrer de 12 meses até o dia 1º de setembro de cada ano.

Do total de centenários que vivem no arquipélago, 87,6% são mulheres. Até o início deste mês, a estimativa de vida média para as mulheres situava-se em 87,05 anos, enquanto a média de vida para os homens estava em 80,79 anos. Aliás, as mulheres japonesas detêm o recorde mundial de longevidade e o Japão é o país onde as pessoas vivem mais, segundo o último relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS), divulgado em maio deste ano.

O levantamento revela ainda que o número de mulheres centenárias aumentou em 3.797 (ou 7,06%), para 57.525, enquanto o número de homens maiores de 99 anos cresceu 327 (ou 4,1%), para 8.167 até o início de setembro.

Por sua vez, o número de centenários por cada 100 mil japoneses situou-se em 51,68 em setembro.

A província japonesa com maior proporção de idosos de 99 anos é a de Shimane, no oeste do país, enquanto a de Saitama, ao norte de Tóquio, é a que menos centenários tem em relação à população total.

O volume de centenários aumentou de maneira contínua desde 1971 e o Ministério prevê que o número cresceu principalmente pelos avanços em matéria de tratamentos médicos.

Quando as autoridades japonesas começaram a recopilar os dados, em 1963, o número de centenários era de 153, e 35 anos depois, em 1998, superaria pela primeira vez os 10 mil. Em 2007, 2012 e 2015 o total superou os 30 mil, 50 mil e 60 mil, respectivamente.

Nabi Tajima, de 116 anos (nasceu em agosto de 1900) e residente em Kagoshima (sudoeste), é a mulher mais velha do Japão, enquanto o homem mais longevo é Masamitsu Yoshida, de 104 anos.

A pessoa mais velha do mundo é a americana Susannah Mushatt Jones, de 116 anos – apenas alguns meses mais nova do que Nabi Tajima. A americana foi reconhecida pelo Guinness um mês após a morte da japonesa Misao Okawa, em abril do ano passado. Misao morreu por causas naturais os 117 anos.

Com informações das agências Efe e Kyodo.

Comentários