Notícias

Dólar ignora atuação do BC e fecha no maior nível em mais de 2 anos

Foto: Aflo Images

Dólar fechou acima de R$ 3,62 e já acumula valorização de quase 10% no ano.

Mesmo com intervenção reforçada do Banco Central do Brasil no câmbio, o dólar subiu nesta segunda-feira (14) e fechou na maior cotação frente ao real em mais de dois anos.

A moeda norte-americana subiu 0,73%, contada a R$ 3,6275 para a venda, maior cotação frente ao real em mais de dois anos, quando o dólar alcançou R$ 3,6392 no fechamento do dia 29 de abril de 2016, segundo a agência ‘Reuters’.

Na máxima do dia, a moeda chegou a bater R$ 3,6405, mas recuou no fim da tarde, com o mercado atento o resultado de pesquisas eleitorais.

Na sessão de sexta-feira, o dólar fechou cotado a R$ 3,6011, alta de 1,55%, e encerrou a semana com valorização acumulada de 2,20%.

No mês de maio, a moeda dos EUA acumula ganhos de 3,57%. No ano, o dólar já tem valorização de 9,48%.

Nas negociações de hoje, os investidores monitoraram a cena política local. A poucos meses das eleições presidenciais de outubro, o quadro ainda é incerto. Investidores temem que um candidato que considerem menos comprometido com o ajuste fiscal desponte como favorito.

Intervenção do Banco Central
Após o fechamento do mercado na última sessão, na sexta-feira (12), o BC anunciou que elevará a intervenção no mercado com a oferta adicional de contratos de swap cambial tradicional – equivalentes à venda no mercado futuro.

A partir de agora, fará leilão para a rolagem do vencimento de junho e antecipará a venda de novos contratos de swap. Ou seja, o BC injetará dinheiro “novo” no sistema.

Até então, o BC vinha promovendo um único leilão, no total de 8,9 mil contratos, cujo volume que, se mantido até o encerramento do mês, rolaria o total de junho de US$ 5,650 bilhões e ainda injetaria US$ 2,8 bilhões adicionais.

Os novos contratos, até então, só entrariam no sistema quando fosse concluída a rolagem do vencimento do mês que vem.

Nesta segunda-feira, fez leilão de até 4.225 mil contratos para rolagem de junho e também leilão de até 5 mil novos contratos.

Mediante isso, O câmbio até reagiu na abertura de hoje às mudanças no formato dos leilões de swaps cambiais. Na mínima desta manhã, a cotação chegou a cair 0,77%, mas voltou a subiu diante das preocupações com a política local.

Do Mundo-Nipo
Fontes: Agência Reuters | Portal G1.

Comentários