Notícias

Toyota e Nissan anunciam recall de 6,5 milhões de veículos em todo o mundo

A Honda informou que também vai seguir o exemplo do recall por problemas na produção de air bags da Takata.

Do Mundo-Nipo com Agências

A Toyota e a Nissan estão expandindo um enorme recall global por problemas na produção de airbag da fabricante Takata, afirmando que vão receber milhões de veículos no mundo todo para investigação. As duas maiores montadoras do Japão convocaram 6,5 milhões de veículos para averiguação, enquanto a Honda informou que vai seguir o exemplo, embora não tenha fornecido detalhes.

Os anúncios, divulgados na última quarta-feira, aumentam para cerca de 31 milhões o número de veículos alvo de recalls no mundo desde 2008 por causa de problemas em infladores de airbags produzidos pela fabricante Takata, que podem encher com muita força, causando explosão de estilhaços dentro do carro.

Os recalls relacionados à Takata superam os 21 milhões de veículos recolhidos por Ford na década de 1980 por causa de um problema de câmbio de estacionamento, segundo autoridades de segurança dos EUA e defensores de direitos dos consumidores. A General Motors promoveu recalls de cerca de 30 milhões de veículos no ano passado, mas estes ocorreram por uma variedade de defeitos, incluindo em componente de ignição.

O porta-voz da agência de segurança de tráfego nos EUA (NHTSA), Gordon Trowbridge, afirmou que Toyota e Nissan, bem como autoridades do governo japonês, mantiveram contato com a agência ao longo dos últimos dias. A agência deve anunciar em breve “novas medidas significativas” relacionadas a uma aceleração nos recalls da Takata.

Perguntada sobre os recalls, uma porta-voz da Takata afirmou que uma investigação sobre as causas dos defeitos nos air bags está sendo realizada e que a companhia continua a cooperar com as montadoras de veículos.

(Com Agência Reuters)

*Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Comentários

Deixe de comentário

*