Notícias

Coreia do Norte exige fim de exercícios militares para encerrar testes nucleares

Foto: Shutterstock

Pyongyang disse que só encerrará seus testes nucleares se houver interrupção dos exercícios militares dos EUA e da Coreia do Sul.

A Coreia do Norte exigiu neste sábado (16) a conclusão do tratado de paz com os Estados Unidos e uma interrupção dos exercícios militares norte-americanos com a Coreia do Sul para encerrar seus testes nucleares.

O vice secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken, disse, no entanto, que Pyongyang precisa demonstrar em ações que leva a sério a desnuclearização para que qualquer diálogo tenha início.

“Infelizmente temos agora uma década durante a qual a Coreia do Norte reverteu totalmente suas obrigações para com a comunidade internacional no que se refere a programas nucleares e de mísseis”, disse Blinken em entrevista à imprensa em Tóquio.

“Portanto é muito difícil levar qualquer proposta vinda deles muito a sério, particularmente após seu quarto teste nuclear”, disse ele, após reunião com os colegas do Japão e Coreia do Sul.

A Coreia do Norte afirmou no dia 6 de janeiro ter testado uma bomba de hidrogênio, provocando condenações dos Estados Unidos e por parte de seus vizinhos, principalmente do Japão e da Coreia do Sul.

O Estado isolado busca há muito tempo um tratado de paz com os Estados Unidos, bem como um fim dos exercícios da Coreia do Sul e dos EUA, que tem cerca de 28.500 tropas baseadas na Coreia do Sul.

“Ainda são válidas todas as propostas pela preservação da paz e da estabilidade na península e no Nordeste asiático, incluindo aquelas pelo cessar de nossos testes nucleares e a conclusão do tratado de paz em troca da interrupção dos exercícios militares por parte dos EUA”, disse um porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do país neste sábado segundo a agência de notícias oficial norte-coreana KCNA.

Perguntado se os EUA considerariam interromper os exercícios conjuntos, o porta-voz do Departamento de Estado John Kirby afirmou ter comprometimentos em aliança com a Coreia do Sul.

“Continuaremos garantindo que a aliança esteja pronta para agir em defesa do povo da Coreia do Sul e da segurança da península”, disse ele à imprensa.

(Com informações da agência Reuters)

Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Comentários