Notícias

McDonald’s do Japão anuncia fechamento de 131 lojas, demissões e cortes de salários

A ação é parte de uma reestruturação e inclui a própria presidente da filial japonesa, que terá seu salário cortado em 20%.

Do Mundo-Nipo

O McDonald’s Holding, no Japão, anunciou esta semana que irá encerrar as atividades de 131 lojas em todo o país, bem como demissões e redução de salários de executivos. A medida radical é parte de um plano de reestruturação da filial japonesa, que foi gerado após o escândalo da carne estragada proveniente de uma fornecedora da China, ocorrido em meados do ano passado, bem como objetos “estranhos” encontrados em lanches vendidos em várias lojas no país, o que levou a empresa a projetar perdas maiores em 2015 do que o inicialmente estimado.

De acordo com o comunicado, a reestruturação da filial japonesa inclui a demissão de 100 funcionários na matriz em Tóquio. A medida inclui executivos de alto escalão, que terão cortes no salário, de 10 e 15%, durante o período de 6 meses. Essa redução envolve a própria presidente do McDonald’s no Japão, Sarah Casanova, que terá seu salário reduzido em 20%.

O fechamento de 131 unidades até o final de 2015, no entanto, atingirá apenas as lojas que estão com vendas baixas. Haverá ainda remodelação em mais duas mil unidades.

Prejuízo
A empresa estima que este ano as perdas cheguem a 38 bilhões de ienes, em vista da queda de 10% nas vendas. A deterioração nas vendas da unidade japonesa do McDonald’s foi ampliada depois que vários objetos estranhos foram encontrados em refeições por consumidores em lojas da rede de fast-food.

Em agosto passado, um dente humano foi encontrado em uma porção de batatas fritas. Depois, em dezembro, uma criança teve ferimentos leves ao encontrar um pedaço de plástico em um sorvete. Além destes, há outros casos de objetos estranhos encontrados em lanches por clientes.

Escândalo da carne
Em julho de 2014, uma matéria de uma TV chinesa alegou que um fornecedor de redes de fast food, incluindo o McDonald’s e a rival Yum Brands, tinha tratado a carne indevidamente e usado alimentos vencidos. A imprensa chinesa então acusou a Shanghai Husi, controlada pelo grupo OSI, dos Estados Unidos, de vender intencionalmente carne vencida para redes de restaurantes, direcionando, principalmente, às atenções ao McDonald’s do Japão

A filial japonesa, que comprava nuggets da Shanghai Husi, trocou de fornecedor, e passou a contar com três fabricantes tailandeses. Entretanto, em janeiro deste ano, um cliente encontrou um pedaço de vinil em um nugget de frango comprado em uma das mais de 3 mil lojas do McDonald’s existentes no Japão.

Com isso, de julho a dezembro de 2014, as vendas mensais comparáveis da empresa registraram queda de mais de 10%. A empresa ainda não conseguiu superar o impacto do problema envolvendo o escândalo da carne e dos objetos “estranhos” encontrados nos lanches.

Fontes: Jornal Nikkei e gência Kyodo.

*Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Comentários

Deixe de comentário


*