Notícias

Premiê japonês sugere diplomacia para desarmar Coreia do Norte

Foto: Kyodo

A declaração de Abe ocorreu um dia após a Coreia do Norte fracassar no lançamento de um míssil.

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, defendeu nesta segunda-feira (17) a diplomacia como o melhor caminho para desarmar a Coreia do Norte, um dia depois de um fracassado teste com um míssil de Pyongyang.

“A Coreia do Norte está mostrando o seu poder militar, mas é importante manter a paz através de esforços diplomáticos”, afirmou Abe durante uma reunião do comitê do orçamento da Câmara Baixa da Dieta (Parlamento Japonês), ao ser questionado sobre o mais recentemente lançamento de um míssil.

De acordo com a emissora pública japonesa ‘NHK’, o chefe do executivo japonês pediu a Pyongyang que evite realizar mais provocações e considerou ser “necessário exercer mais pressão para que a Coreia do Norte responda seriamente ao diálogo”.

Abe disse que para atingir estabilidade na região é necessário que Pequim, o principal aliado de Pyongyang, use a sua influência, e que Washington e Seul façam o seu papel, salientando ainda a ideia de cooperação com a Rússia.

A Coreia do Norte efetuou no domingo (16) um lançamento fracassado de um míssil, que coincidiu com a chegada à Coreia do Sul do vice-presidente norte-americano, Mike Pence.

Os Estados Unidos decidiram enviar para a península coreana o porta-aviões nuclear ‘Carl Vinson’ e a frota de ataque, após o regime do líder Kim Jong-un efetuar o lançamento de outro projétil em 5 de abril.

Contradizendo a recente postura diplomática de Abe, navios de guerra estão sendo enviados pelo Japão à península em questão. Segundo o jornal britânico “The Guardian”, as movimentações militares no Mar da China em direção à Coreia são uma demonstração de poderio militar para forçar Pyongyang a aceitar um acordo sobre o desenvolvimento de seu programa nuclear e de mísseis balísticos.

Os exercícios entre as forças militares do Japão, EUA e Coreia do Sul vão envolver manobras conjuntas com helicópteros e melhoria das capacidades de detecção e seguimento do mísseis lançados pela Coreia do Norte.

Fontes: Agência EFE | NHK News Japan | Jornal de Notícias.

Comentários