Notícias

Número de mortos sobe para 4 em terremoto no Japão; feridos passa de 300

Fornecimento de luz, de água e de gás continuam interrompidos em milhares de domicílios em Osaka.

O número de pessoas feridas no potente terremoto de magnitude 6,1 que atingiu a província de Osaka, no oeste do Japão, na segunda-feira (hora local), já passa de 300, enquanto o número de mortos subiu para quatro pessoas, incluindo uma criança de 9 anos, segundo dados divulgados pelas autoridades locais nesta segunda-feira (18).

O potente tremor, que atingiu intensidade máxima de 6- graus na escala japonesa, que vai até 7, derrubou construções, provocou incêndios e deixou milhares sem energia elétrica, água e gás, além de “provocar caos” nos transportes ferroviários.

Segundo a Agência de Controle de Incêndios e Desastres, há o registro de 307 pessoas feridas. A menina de 9 anos, que estava na escola, foi soterrada pela queda de um muro de concreto. Situação semelhante vitimou um idoso de 80 anos no distrito de Higashiyodogawa.

Outros dois idosos, um de 80 anos e outro de 84 anos, morreram após serem esmagados por móveis dentro de casa. Um morreu em Osaka e o outro na cidade vizinha de Ibaraki, respectivamente, informou a ‘Kyodo News’ citando dados divulgados por autoridades locais.

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, garantiu que o governo está mobilizado “com o objetivo de salvar a vida da população” e informou que foi organizada uma equipe para avaliar danos causados pelo terremoto, informou a emissora ‘NHK’.

O abalo atingiu o norte de Osaka às 07h58 locais de segunda-feira (19h58 de domingo em Brasília), divulgou a Agência Meteorológica do Japão (JMA).

Inicialmente, a intensidade medida foi de 5.9 graus. Algumas áreas do oeste japonês, incluindo a cidade de Kyoto, também sentiram os tremores.

Trata-se do mais forte terremoto já registrado em Osaka, a segunda maior cidade do país, de acordo a JMA, que passou a registrar os dados em 1923.

Além da queda de paredes de algumas construções e incêndios pontuais, a circulação do metrô e de trens foi suspensa devido a danos em equipamentos.

Emissoras locais mostraram imagens de passageiros deixando vagões e saindo a pé pelos trilhos entre estações.

A companhia de energia elétrica Kansai informou que mais de 170 mil residências ficaram sem energia em Osaka e na região de Hyogo. Um hospital em Osaka ficou temporariamente sem luz.

O aeroporto Internacional de Kansai (Osaka), o mais importante do oeste do Japão, cancelou mas de 40 voos.

Mais de mil pessoas refugiaram-se em locais de abrigo estabelecidos em várias partes de Osaka. O abastecimento de gás foi interrompido para 100 mil domicílios e há relatos de falta de água na metade norte de Osaka.

Altas autoridades do governo japonês estão mobilizadas para uma reunião de emergência no escritório do primeiro-ministro.

Caças e helicópteros da Força Aérea de Autodefesa do Japão foram enviados à região para reconhecimento dos danos.

Em março de 2011, um fortíssimo tremor de magnitude 9 atingiu o nordeste japonês e provocou uma onda gigante que matou mais de 18 mil pessoas. A força das águas invadiu o complexo atômico Fukushima Daiichi e danificou alguns reatores, o que provocou o pior acidente nuclear desde o ocorrido em Chernobyl, na Ucrânia, em 1986.

Do Mundo-Nipo
Fontes: NHK News World Digital | Japan Meteorological Agency | Kyodo News.

Comentários