Notícias

Dólar tem 3ª alta seguida após salto na construção de moradias nos EUA

O dado americano renovou as esperanças dos investidores sobre uma recuperação da maior economia do mundo.

Do Mundo-Nipo com Agências

O dólar fechou em alta ante o real pela terceira sessão consecutiva nesta terça-feira (19), acompanhando o mercado externo que, por sua vez, foi influenciado pela divulgação de indicadores mais fortes sobre a economia dos Estados Unidos. O número de início de construções de novas casas nos país saltou em abril ao maior nível em quase sete anos e meio, o que renovou as esperanças dos investidores sobre uma recuperação da maior economia do mundo.

A moeda norte-americana encerrou o dia em alta de 0,76%, cotada a R$ 3,0412 na venda. Na máxima da sessão, a moeda chegou a R$ 3,0433 e, na mínima, foi a R$ 3,0031. Segundo dados da BM&F, o movimento financeiro ficou em torno de US$ 977 milhões.

O clima no mercado hoje era de otimismo após dado mais forte sobre a economia dos Estados Unidos. O indicador econômico americano que impulsionou o dólar foi sobre o início de construção de novas moradias, que saltou 20,2% em abril, para 1,14 milhão de unidades – a máxima em quase sete anos e meio. O aumento percentual foi o maior desde fevereiro de 1991. O dado de março foi revisado para cima, para 944 mil unidades, em vez das 926 mil unidades divulgadas anteriormente.

A recuperação da economia norte-americana pode levar o Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) a iniciar o processo de elevação das taxas de juros. Investidores buscarão mais pistas sobre o futuro da política monetária norte-americana na ata da última reunião do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês), que será divulgada na quarta-feira.

A alta do dólar frente ao real hoje, no entanto, é menor do que a sobre outras divisas, sobretudo o euro, que foi influenciado pelo anúncio do Banco Central Europeu (BCE). A autoridade disse que vai acelerar a compra de títulos soberanos para estimular a economia. Pela manhã, o dólar sobia frente a 14 das 16 principais moedas do mundo.

No início da tarde, no entanto, a divisa chegou a anular o avanço ante o real. O movimento foi explicado por dois operadores de bancos internacionais como resultado de fluxos de entrada de dólares no país.

No cenário doméstico, investidores ainda monitoram o noticiário fiscal, após o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, afirmar que o contigenciamento do Orçamento deve ficar entre 70 bilhões e 80 bilhões de reais e que o governo não descarta elevar impostos para cumprir a meta de superávit primário deste ano.

Atuação do Banco Central no câmbio
O Banco Central brasileiro vendeu nesta sessão a oferta total de até 8.100 contratos de swap cambial tradicional (equivalentes à venda futura de dólares) no leilão de rolagem.

Até o momento, a autoridade monetária já rolou o equivalente a US$ 4,725 bilhões, ou cerca de 49% do lote total, que corresponde a US$ 9,656 bilhões.

Os leilões de rolagem servem para adiar os vencimentos de contratos que foram vendidos no passado.

(Com informações da Agências Reuters e do jornal Globo.com)

*Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Comentários

Deixe de comentário

*