Notícias

Mazda reinicia operações no oeste do Japão

Foto: Iphone Wallpaper Image

Com a produção atrasada por conta das chuvas, a Mazda vai retomar as operações noturnas em Hiroshima.

Atualizado em 01/08/2018


A montadora japonesa Mazda Motor informou que vai reiniciar completamente a produção em sua principal fábrica, na província de Hiroshima, oeste do Japão, na próxima segunda-feira, visto que as chuvas torrenciais causaram inundações em várias localidades da região.

Chuvas sem precedentes que atingiram o oeste do Japão no início deste mês forçaram o fechamento temporário da fábrica. Alguns empregados não conseguiram ir ao trabalho devido a paralizações do sistema de transporte público. Diversos fornecedores de peças também sofreram danos causados pelas enchentes.

A produção no período do dia foi reiniciada no dia 19 de julho. A Mazda, no entanto, informou na quarta-feira que vai retomar as operações noturnas, uma vez que a produção está atrasada e há prazo para entrega tanto de peças como embarques de carros para o exterior.

A montadora diz que vai revisar os métodos de transporte dos empregados e a distribuição de produtos para evitar atrapalhar as atividades de assistência na região. A empresa afirma que vai priorizar os esforços de recuperação e reconstrução e flexibilizar os planos de produção.

Danos causados pelas inundações passa dos US$ 200 milhões
Funcionários do governo estão tentando, agora, avaliar a extensão dos danos causados pelas recentes inundações e deslizamentos de terra à indústria primária na região oeste do Japão.

Nesta sexta-feira, de manhã, a estimativa era de mais de US$ 200 milhões, um valor que, segundo o governo central, certamente aumentará.

Chuvas torrenciais sem precedentes atingiram os setores agrícola, florestal e de pesca. O Ministério da Agricultura cita que dezenas de províncias estão relatando grandes danos provocados pelas chuvas que inundaram as áreas no final de junho e meados de julho.

Os deslizamentos de terra que derrubaram árvores e destruíram estradas nas áreas florestais causaram, até o momento, danos equivalentes a US$ 131 milhões. Estima-se que os prejuízos nos terrenos, instalações agrícolas e plantações somem mais outros US$ 73 milhões.

Do Mundo-Nipo
Fonte: NHK World News Online | EFE Brasil.

Comentários