Notícias

Terremoto de magnitude 6,5 atinge a costa leste do Japão

Imagem: Mundo-Nipo

O tremor não afetou significativamente o solo japonês, mas há grande possibilidade de elevação do mar na costa leste.

Um terremoto de magnitude 6,5 graus na escala Richter atingiu a costa leste do Japão na manhã desta sexta-feira (data local), informou a Agência Meteorológica do Japão (JMA, na sigla em inglês), acrescentando que, apesar do tremor representar baixa intensidade na escala japonesa, pode ocorrer elevação do mar nas regiões costeiras.

De acordo com a JMA, o tremor ocorreu às 09h14 locais (21h14 desta quinta-feira em Brasília), com epicentro registrado no mar, a aproximadamente 230 km a sudeste de Tóquio (Kanto Toho-oki/leste), a uma profundidade de 10 quilômetros.

A agência japonesa afirma que o tremor não teve intensidade significativa na escala japonesa, que vai até 7 (shindo), mas destaca que há possibilidade de elevações no mar. A escala japonesa considera o nível de abalo sentido na superfície da terra, enquanto o grau de magnitude equivale à intensidade do terremoto no epicentro.

Segundo o Serviço Geológico dos EUA (USGS), o terremoto atingiu magnitude 6,4 na escala Richter. O USGS destacou que “não foi emitido automaticamente um alerta de tsunami, mas sugeriu que o nível do mar deve se elevar na costa leste.

Ainda nesta quinta-feira, a USGS informou que outros quatros terremotos foram registrados na mesma região do Pacífico, variando entre 4,7 e 5,3 graus.

Na terça-feira (20), a JMA registrou um terremoto de magnitude 6,3 também na mesma região, o que preocupa em vista de que todos acusam magnitudes altas, sugerindo não tratar-se de simples replicas (tremores secundários).

O Japão faz parte do chamado ‘Anel de Fogo do Pacífico’, uma das zonas sísmicas mais ativas do mundo, e sofre terremotos diariamente. Mediante a isso, o país possui uma infraestrutura desenvolvida para resistir tremores que poderiam ser fatais em outras partes do mundo.

*Para saber mais detalhes, visite a página com os dados do terremoto no site oficial da JMA.

Comentários