Notícias

Tufão Lan faz 2 mortos no Japão

Ondas passaram de 3 metros na costa leste japonesa (Foto: Kyodo)

Com ventos de até 216 quilômetros por hora, tufão segue devastador por quase todo o Japão.

22/10/2017 – 09h05 | Atualizado às 11h23


O potente tufão Lan aproximou-se de Honshu, maior e principal ilha do Japão, neste domingo (22) e já deixou pelo menos duas pessoas mortas em duas diferentes províncias, à medida que se encaminha para tocar terra no centro e/ou leste do arquipélago por volta das primeiras horas de segunda-feira (23).

De acordo com o último boletim imitido pela Agência Meteorológica do Japão (JMA), o grande tufão enfraqueceu ligeiramente e encontra-se com uma pressão atmosférica de 945 hectopascals em seu centro, com ventos de até 216 quilômetros por hora.

Às 9 horas locais, ele estava localizado ao sul do Cabo Shionomisaki, o ponto mais ao sul de Honshu, movendo-se para o norte-nordeste a uma velocidade de 50 km / h.

O 21º tufão da temporada no Pacífico trouxe mais de 400 milímetros de precipitação em 48 horas até noite de domingo nas províncias de Kagoshima, no sul, de Wakayama e Mie, ambas situadas no leste da região central do país.

Contudo, a cidade de Shingu, em Wakamayama, recebeu mais de 700 milímetros de chuva em 48 horas, quantidade recorde e representa a média de precipitação esperada cair no decorrer de um mês ou mais.

Um transeunte morreu após ser atingido por destroços resultantes da colisão de andaimes em uma obra na cidade de Fukuoka, no sudoeste do Japão, por volta das 16h50 locais (05h50 pelo horário de verão em Brasília), no que a polícia acredita ser um acidente resultante do fortes ventos causados pelo tufão, isso porque uma potente rajada de vento de até 87 km / h foi registrada na cidade pouco antes do acidente na obra.

Na província de Yamaguchi, no oeste do Japão, um homem de 70 anos desapareceu depois que seu barco teve problemas com o motor.  Segundo a equipe de emergência local, ele sumiu após mergulhar no mar agitado pelas ondas enquanto tentava se agarrar a uma corda de outra embarcação. Seu corpo foi encontrado mais tarde em uma praia localizada a aproximadamente 3,3 km de distância de sua embarcação.

Em Toyohashi, na província de Aichi (no sul de Chubu), uma mulher de 85 anos sofreu ferimentos depois de ser derrubada por uma rajada de vento enquanto caminhava em uma calçada.

As companhias Japan Airlines  All Nippon Airways anunciaram que foram cancelados  mais de 350 voos, o que afetou mais de 43 mil passageiros. Como forma de precaução, as duas companhias aéreas também decidiram cancelar 170 voos domésticos agendados para decolar na segunda-feira (23).

Os serviços de trem também foram interrompidos, incluindo linhas de trens de alta velocidade partindo e chegando a estação de Shinjuku, em Tóquio, e a estação de Nagoya, disseram os operadores locais, afirmando ainda que os serviços em algumas linhas permanecerão suspensos até segunda-feira.

Em razão do avanço devastador do tufão pelo arquipélago japonês, a Toyota decidiu suspender as operações em suas fábricas de montagem nas prefeituras de Iwate, Miyagi, Gifu, Shizuoka, Aichi, Mie e Fukuoka na segunda-feira.

Vários municípios emitiram avisos de evacuação e alguns colégios eleitorais decidiram não realizar à contagem de votos das eleições locais para Câmara dos Deputados, uma medida por conta da da interrupção de transportes causada pelo tufão.

Em quanto isso, o príncipe herdeiro Naruhito decidiu adiar sua viagem à prefeitura de Kochi, onde estava programado para participar de um evento de promoção da agricultura local na segunda-feira, uma vez que o voo partindo do aeroporto Haneda, em Tóquio, foi cancelado, anunciou a Agência da Casa Imperial.

Desde a manhã de sábado, a JMA alertou sobre deslizamentos de terra e transbordamentos de rios, bem como alertas para ventos extremamente fortes e ondas altas, pedindo às pessoas a evitarem o mar e atentas aos locais de riscos.

Agora, depois de passar rapidamente pela ilha principal de Honshu, a JMA estima que o tufão perderá força e se transformará em um ciclone extratropical em sua passagem pela ilha de Hokkaido (norte) no início de terça-feira (24).

Do Mundo-Nipo com a agência Kyodo

Comentários