Notícias

Reunião em Tóquio reaproxima Japão, Coreia do sul e China

Foto: Kyodo

Trata-se do primeiro encontro entre os três países vizinhos em quatro anos.

Os ministros das Relações Exteriores do Japão, da China e da Coreia do Sul se reuniram em Tóquio nesta quarta-feira (24), um encontro destinado a discutir a cooperação trilateral e reaproximar os três países vizinhos.

Na agenda da reunião estavam assuntos globais e regionais, mas o foco da conversa se centrou nos problemas entre China e Coreia do Sul, por causa da polêmica construção de um sistema antimísseis, em conjunto com os Estados Unidos, e entre China e Japão, por conta de de disputas territoriais no Mar da China Oriental.

A conversa entre os chanceleres Fumio Kishida, do Japão, Wang Yi, da China, e Yun Byung-se da Coreia do Sul, foi bastante diplomática. O clima de tensão entre os três países ficou apenas nos temas discutidos. O ministro japonês seus contrapartes centraram as discussões na cooperação econômica e em coordenar a resposta frente ao crescente perigo provocado pelos últimos desenvolvimentos de armamentos da Coreia do Norte.

Esta foi a primeira reunião trilateral depois de um hiato de quatro anos. Estas reuniões se realizam de forma anual e com sede rotatória entre os países vizinhos, e foram suspensas entre 2012 e 2015, devido ao agravamento das relações na região. A retomada destes encontros proporciona um clima de alívio e sugere uma grata aproximação entre os três vizinhos.

Essa ideia é reforçada porque também se trata da primeira visita ao Japão de um ministro chinês das Relações Exteriores desde que o presidente Xi Jinping assumiu o poder, em 2013. É preciso lembrar que as relações entre Japão e China andam bastante abaladas por causa das frequentes aproximações de navios chineses às águas japonesas em torno das Ilhas Senkaku, chamadas pelos chineses de Diaoyu, um arquipélago inabitado que virou motivo de briga entre os dois países.

Nesta reunião, o ministro japonês pediu para o colega chinês que seja respeitada a legislação internacional nas disputas marítimas que o gigante asiático mantém também com outros países vizinhos. A China, por sua vez, expôs seu ponto de vista sobre os limites marítimos e jogou para o Japão a responsabilidade de se criar laços saudáveis e estáveis com o país.

Encontro dos chanceleres de China e Coreia do Sul
Pela manhã, em Tóquio, o ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, se encontrou com sua contraparte da Coreia do Sul, Yun Byun-se, por cerca de uma hora. Ambos se reuniram antes do encontro trilateral.

Após se reunir com Yun, Wang declarou à imprensa que a China permanece terminantemente contrária à decisão da Coreia do Sul de introduzir o sistema Defesa Aérea Terminal de Alta Altitude (THAAD, na sigla em inglês). Ele disse que quer evitar que o assunto ganhe contornos mais sérios e acabe influenciando nas relações amistosas e na cooperação entre os dois países.

Yun Byung-se, por sua vez, afirmou que ele e sua contraparte puderam realizar discussões abrangentes sobre questões envolvendo ambas as nações.

O chanceler sul-coreano não revelou detalhes da reunião. No entanto, acredita-se que ele tenha pedido a compreensão de Pequim no tocante à necessidade do sistema de defesa para proteger seu país contra mísseis e armas nucleares da Coreia do Norte.

Fontes: Jornal RFI PT | NHK News Japan.

Comentários