Notícias

Honda Civic voltará a ser comercializado no Japão até 2018

Um dos principais motivos para a reinserção do Civic no mercado japonês é a excelente avaliação do modelo na América do Norte.

A Honda Motor anunciou que pretende retomar a comercialização de seu modelo Civic no mercado japonês até o ano de 2018, de acordo com informações da revista online ‘Alternativa.jp’.

Em uma coletiva de imprensa realizada na quarta-feira (24), o presidente da Honda, Takahiro Hachigo, disse que um dos principais motivos para a reinserção do Civic no mercado japonês é a excelente avaliação do modelo na América do Norte, conforme informou a ‘Alternativa.jp’ nesta quinta-feira (25), citando o jornal japonês Yomiuri como fonte.

O sedã da Honda teve a comercialização interrompida no Japão em 2010. Na época, a Honda deu como principal causa o baixo volume nas vendas porque os clientes japoneses estavam mudando o foco para minivans e outros veículos mais compactos.

No entanto, a empresa pretende recuperar a popularidade do modelo no Japão mediante melhorias focadas na preferência dos japoneses.

Em outubro de 2015, o sedã Civic ganhou o prêmio “Carro do ano” na América do Norte. Após receber melhorias completas, o modelo foi considerado espaçoso e confortável, além de outras características positivas.

Mediante a isso, a Honda avaliou que poderá ser uma boa oportunidade para reativar a comercialização do Civic no Japão, principalmente porque modelos sedãs de montadoras rivais, como a BMW e a Audi, tem registrado boas vendas no mercado automotivo japonês.

“Vamos corresponder às expectativas dos clientes que buscam por carros sedã esportivos”, afirmou o presidente da terceira maior montadora do Japão.

Em 2015, cerca de 20% dos novos carros da Honda vendidos nos Estados Unidos eram do modelo Civic. No Brasil, o Civic também é muito popular entre os modelos sedãs, conforme noticiou a ‘Alternativa.jp’.

Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Comentários

Deixe de comentário

*