Notícias

Uma em cada 6 mulheres no Japão é vítima de violência, diz pesquisa

Foto: Stockvault

Na maioria dos casos, o agressor é o ex ou atual marido, companheiro ou namorado.

Uma em cada seis mulheres no Japão já sofreu algum tipo de violência do companheiro, que inclui ex ou atual namorado e ex ou atual marido com união civil ou estável, segundo dados de uma pesquisa realizada por uma universidade japonesa e divulgada nesta sexta-feira (28) pela emissora pública ‘NHK’.

Liderada pelo professor Masahiro Tsushima, da Universidade Ryukoku, a pesquisa contatou 2.448 mulheres escolhidas aleatoriamente no oeste do Japão no decorrer do ano passado. Desse total, apenas 741 mulheres se prontificaram responder a pesquisa, isso porque “a maioria tem vergonha de admitir que foi agredida pelo próprio companheiro e tem medo de denunciar as agressões”, explica o professor Tsushima.

De acordo com o relatório do estudo, 126 mulheres, ou 17% do total, confessaram que sofreram agressão física, psicológica e/ou violência sexual.

Os dados revelam ainda que a maioria das vezes o marido é o agressor, com uma porcentagem de mais de 45%, ou seja, 53 mulheres.

“O mais preocupante é que nenhuma das entrevistadas que admitiram ser vítima de violência do companheiro procurou a polícia”, alerta Tsushima.

Morte por violência doméstica
Segundo o mais recente relatório da Secretaria do Ministério para a Igualdade de Gêneros, órgão do Ministério da Justiça do Japão, O número de homicídios diretamente relacionados à violência doméstica no Japão atingiu o recorde de 147 casos registrados em 2015, o que representa um novo recorde de vítimas fatais por agressão no lar.

O relatório mostra que, do total de homicídios, as mulheres representam aproximadamente 56% das vítimas, totalizando mais de 82 mortes registradas no passado, o que representa um novo recorde.

Já os casos confirmados envolvendo pessoas com ferimentos por agressão no lar, o número chegou a 2,6 mil registros. Desse total, as mulheres representam 2,5 mil das vítimas. Em relação a agressões com espancamento grave, houve 3,7 mil registros e as mulheres, mais uma vez, representam a maioria, totalizando 3,5 mil casos, de acordo com o relatório.

Para compilar os dados, o Ministério para a Igualdade de Gêneros usa como base os dados da Agência Nacional de Polícia do Japão (NPA, sigla em inglês) e dos centros de atendimento e proteção à mulher.

O alarmante aumento da violência doméstica no país, principalmente contra mulheres, levou o Ministério da Justiça a promover uma campanha de esclarecimento sobre os direitos da mulher. Consultas podem ser feitas por telefone (0570-070-810).

Comentários