Notícias

Dólar fecha em alta com expectativa de impeachment e juros nos EUA

Foto: Clipart Images

O dólar reduziu as perdas no mês e acumula leve queda de 0,08%.

O dólar subiu ante o real e fechou a R$ 3,24 nesta terça-feira (30), em mais um dia de baixo volume de negócios, com o mercado interno na expectativa do desfecho do processo de impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff, enquanto investidores no exterior aguardam novas pistas sobre quando o Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA) voltará a elevar os juros, de acordo com a agência de notícias ‘Reuters’.

A moeda norte-americana subiu 0,24%, cotada a R$ 3,2402 na venda, após bater R$ 3,2650 na máxima da sessão. No mês, a moeda acumula leve queda de 0,08%. No ano, a desvalorização chega a 17,93%.

A cautela com o exterior devido à expectativa de altas de juros nos EUA, a ausência de fluxos de ingresso de recursos, atenções com o desfecho do processo de impeachment e a atuação diária do Banco Central são os elementos que explicam a alta do dólar nesta sessão, que mais uma vez teve volume de negócios reduzido.

Exterior
De acordo com a ‘Reuters’, continuava no radar ainda o futuro movimento do Federal Reserve sobre sua taxa de juros. Nesta manhã, o vice-chair do Fed, Stanley Fischer, disse que a economia dos Estados Unidos está perto do pleno emprego e que o ritmo de alta de juros norte-americanos vai depender de quão bem está a economia.

Com taxas mais altas por lá, seriam atraídos para o país recursos aplicados atualmente em outros mercados, como o Brasil, motivando assim uma tendência de alta do dólar em relação a moedas como o real.

Mercado interno
O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, disse nesta terça-feira que acredita que a votação final do impeachment ficará para quarta-feira.

Segundo a Reuters, operadores dão como certo seu afastamento definitivo, mas esperavam um sinal de força política de Michel Temer que comprove que será capaz de angariar apoio no Congresso Nacional a medidas de ajuste fiscal, após enfrentar dificuldades para fazê-lo enquanto presidente interino.

“A trégua da dúvida acabou e agora o governo tem que mostrar a que veio”, escreveu o superintendente regional de câmbio da corretora SLW, em nota a clientes, João Paulo de Gracia Corrêa.

Atuação do Banco Central no câmbio
Nesta manhã, o BC vendeu novamente a oferta total de até 10 mil swaps reversos, que equivalem a compra futura de dólares.

Comentários